Últimas Notícias

Lula não endossaria sanções à Rússia caso eleito, diz ex-chanceler

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Principal conselheiro de política externa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-chanceler Celso Amorim disse que as sanções impostas pelo Ocidente contra a Rússia configuram um erro político, por aumentarem o risco de uma guerra nuclear.

A postura crítica às sanções também vem sendo adotada pelo governo de Jair Bolsonaro (PL), que rivaliza com o petista nas pesquisas de intenção de voto para a eleição de outubro. O atual presidente defendeu, em diferentes declarações, uma posição de neutralidade no conflito.

O próprio Amorim já tinha feito críticas semelhantes, em encontro com diplomatas europeus, no qual destacou que não é dirigente do PT e não fala em nome do ex-presidente ou da campanha. Agora, em entrevista à Bloomberg, Amorim voltou a alertar sobre os riscos de isolar uma economia tão importante quanto a da Rússia.

“Ou você vai transformá-la num país cujo rancor com o Ocidente vai ser cada vez maior ou, concomitantemente, vai fazê-la se aproximar cada vez mais da China”, disse. Dias antes, em entrevista à Sputnik Brasil, ele havia dado declaração semelhante, chamando de muito ruim a ideia de “debilitar a Rússia”.

À Bloomberg o ex-ministro afirmou ainda que não vê Lula endossando um posicionamento diplomático pró-sanções caso seja eleito presidente em outubro e que acredita que o petista possa assumir um papel de liderança em negociações de paz globais.

Ele sustentou que, pela primeira vez desde a Crise dos Mísseis de Cuba está preocupado com o risco nuclear. Para o ex-chanceler, não buscar a paz nesse momento seria uma irresponsabilidade.

To Top