Benefícios

Calculadora mostra a aposentadoria no futuro no INSS

Aposentadoria pelo teto ainda é possível? 
rafapress/Shutterstock.com

Calculadora mostra a aposentadoria no futuro no INSS Veja valores para quem vai se aposentar no cálculo criado pela reforma da Previdência.

Trabalhadores que contribuem com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) podem usar a calculadora da Folha para estimar quanto ganharão de aposentadoria. Para fazer a consulta, informe quantos anos faltam para a aposentadoria e um valor aproximado da média salarial.

A calculadora aceita apenas valores até o teto do INSS em 2022, de R$ 7.087,22, que é o valor máximo das contribuições pagas. Porém, a média salarial para quem sempre contribuiu pelo teto é de R$ 6.695,38 em junho deste ano. Esse limite, chamado de média-teto, muda todos os meses, acompanhando a correção da inflação.

Os dados da calculadora consideram apenas o cálculo geral criado pela reforma da Previdência: de 60% da média salarial mais 2% a cada ano de contribuição que passar de 15 anos, para mulheres, e de 20 anos, para homens. A calculadora não inclui as situações dos trabalhadores que vão se aposentar por uma das regras de transição dos pedágios de 50% e de 100%. O resultado será uma demonstração simplificada, que reproduz apenas o valor aproximado da aposentadoria.

Como calcular a média salarial

Para benefícios concedidos após a reforma da Previdência, de novembro de 2019, o INSS faz uma média de todos os salários com contribuição desde julho de 1994, com correção monetária. Segundo especialistas, essas informações estão na carteira de trabalho, nos carnês de contribuição e no Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais), que pode ser acessado pelo aplicativo ou site Meu INSS.

O trabalhador que recolheu todas as contribuições desde julho de 1994 pelo teto e teve todos os salários de contribuição considerados no cálculo da média salarial tem uma média de R$ 6.695,38 em junho, segundo o Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários).

Já quem sempre recolheu pelo salário mínimo receberá uma aposentadoria igual ao piso vigente no ano do início do pagamento. Nenhuma aposentadoria do INSS pode ser menor do que o salário mínimo, que é de R$ 1.212 em 2022.

Especialistas indicam que a melhor forma de calcular a média salarial é por meio do simulador dentro do Meu INSS. No entanto, a conta é aproximada, porque depende de dados do Cnis, e o programa sai do ar ou fica instável com certa frequência.

O INSS informou que o cálculo da média salarial pelo Meu INSS só está disponível para trabalhadores que estão a cinco anos da aposentadoria. O órgão informa que o simulador de renda está temporariamente indisponível para ser adequado às mudanças de cálculo trazidas pela lei 14.331/2022.

Quanto às falhas no acesso ao sistema, o INSS afirma que a Dataprev vem fazendo intervenções para melhoria e que, em caso de indisponibilidade, o segurado deve acessar novamente em outro momento.

Como saber quanto tempo falta para se aposentar

Desde a reforma da Previdência ficou mais difícil saber quanto falta para se aposentar, pois o trabalhador pode se enquadrar na regra de transição por pontos, da idade mínima progressiva, do pedágio de 50%, do pedágio de 100%, da transição da aposentadoria por idade ou pela regra definitiva da reforma. Para dificultar um pouco mais, as exigências aumentam com o passar dos anos em parte das regras de transição.

Se o trabalhador acessar o site ou aplicativo Meu INSS, o sistema mostrará quanto tempo falta para se aposentar em cada uma das transições e pela regra geral da reforma. No primeiro acesso será necessário cadastrar uma senha e responder a perguntas relacionadas ao seu histórico de contribuições.

Mas atenção: se o INSS não estiver reconhecendo algum período trabalhado, o sistema não vai considerar esses anos ou meses na simulação. Por isso, é importante consultar o Cnis (cadastro de contribuições) para verificar se há falhas e pedir as correções ao órgão.

Regra geral da aposentadoria

  • A reforma da Previdência instituiu como regra as idades mínimas de 62 anos, para mulheres, e 65 anos, para homens
  • O cálculo é de 60% da média salarial mais 2% a cada ano de contribuição que passar de 15 anos, para mulheres, e de 20 anos, para homens

Regras de transição da aposentadoria

.Aposentadoria por tempo de contribuição por pontos

  • É preciso ter pelo menos 30 anos de contribuição ao INSS (mulheres) e 35 anos (homens)
  • Em 2022, a soma da idade com o tempo de contribuição precisa atingir, no mínimo, 89 pontos (mulheres) e 99 pontos (homens)
  • A soma exigida sobe um ponto a cada ano, até chegar a 100 pontos (para mulheres, em 2033) e 105 (para homens, em 2028)

.Aposentadoria por tempo de contribuição com idade mínima progressiva

  • Em 2022, podem se aposentar mulheres com 57 anos e seis meses de idade e 30 anos de contribuição, no mínimo
  • Para homens o mínimo é de 62 anos e seis meses de idade e 35 anos de contribuição em 2022
  • A idade mínima exigida aumenta seis meses por ano e chegará a 62 anos em 2031 (mulheres) e 65 anos em 2027 (homens)

.Transição da aposentadoria por idade

  • Para se aposentar em 2022, é preciso ter 61 anos e seis meses (mulheres) e 15 anos de contribuição
  • Homens podem se aposentar com 65 anos (homens) e 15 anos de contribuição
  • Em 2023, a idade mínima das mulheres chegará aos 62 anos exigidos na regra geral

Regras do pedágio

Há ainda duas regras de transição que exigem um pedágio, em que o trabalhador precisa contribuir por um tempo adicional. Para calcular esse tempo extra, considera-se o total de contribuições acumuladas quando a reforma da Previdência começou a valer. No pedágio de 100%, há também exigência de idade mínima. A calculadora não contempla os segurados que vão se aposentar por uma das regras do pedágio.

.Pedágio de 100%

  • Idade mínima de 57 anos (mulheres) e 60 (homens) na concessão do benefício. Esse requisito é fixo, ou seja, não aumenta com o tempo
  • É preciso contribuir pelo dobro do tempo que faltava para atingir os 30 anos (mulheres) e 35 anos de contribuição (homens) em 13 de novembro de 2019

Cálculo do benefício: a aposentadoria é integral, ou seja igual à média salarial do trabalhador

.Pedágio de 50%

Exigências do INSS em 2022:

  • Pode se aposentar pelo pedágio de 50% quem, em novembro de 2019, já tinha períodos de contribuição entre 28 e 30 anos incompletos (mulheres) ou entre 33 e 35 anos incompletos (homens)
  • É preciso contribuir por mais 50% do tempo que faltava para atingir 30 anos de contribuição (mulher) ou 35 anos (homem) em 13 de novembro de 2019
  • Não há idade mínima

Cálculo do benefício: o INSS calcula a média salarial e depois aplica o fator previdenciário, índice que leva em conta a idade, o tempo de de contribuição e a expectativa de sobrevida para cada idade. Quanto maior a idade do trabalhador, menor é o desconto aplicado na aposentadoria – Folha Uol

To Top