Benefícios

R$ 3.000 de saque no Pis/Pasep para trabalhadores

Como funciona o Pis pela Caixa?
rafapress/Shutterstock.com

R$ 3.000 de saque no Pis/Pasep para trabalhadores Se você deixou acumular saques do PIS (Programa de Integração Social) dos anos de 2020 e 2021, saiba que é possível recebê-los. As cotas do Fundo PIS/Pasep também estão disponíveis para a retirada. Todos esses saques podem totalizar até R$ 3.000.

Existem cerca de 10 milhões de pessoas com direito às cotas do Fundo PIS/Pasep, 470 mil pessoas com direito ao abono salarial ano-base 2020 e 320 mil com direito ao abono ano-base 2019.

O PIS, que dá origem ao Fundo PIS-Pasep, consiste no recolhimento da contribuição que as empresas fazem mensalmente.

As cotas do Fundo PIS/Pasep são originárias do período de 1971 e 1988, em que empresas e órgãos públicos depositavam dinheiro no PIS/Pasep em nome de seus funcionários, sendo assim, cada um deles era dono de uma cota.

Mas o saque só podia ser feito em caso de aposentadoria, doença grave ou ao completar 70 anos.

Saques do PIS/Pasep

Marcelo Rabelo Henrique, professor do curso de ciências contábeis na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), esclarece que, em relação aos anos de 2019 e 2020 do PIS/Pasep que não foi sacado, é preciso que o trabalhador tenha a carteira assinada por pelo menos 30 dias em cada ano, recebido em média até dois salários por mês e esteja inscrito por cinco anos no PIS/Pasep.

O PIS do ano de 2020 pode chegar a até R$ 1.212 (um salário mínimo atual), enquanto o do ano de 2019 pode chegar a R$ 1.100 (valor do salário mínimo vigente na época). O total a ser recebido do fundo de cotas vai depender da quantidade pertencente ao trabalhador na época.

O valor total de R$ 3.000 a receber, se você tiver direito a todos os saques, é apenas uma estimativa média. Varia conforme a situação de cada um.

Cotas do Fundo PIS/Pasep

As cotas do Fundo PIS/Pasep podem ser sacadas por pessoas que trabalharam com carteira assinada na iniciativa privada, ou como servidores públicos entre 1971 e 4 de outubro de 1988. Se a pessoa já tiver morrido, os herdeiros têm direito ao saque.

Os trabalhadores desse período que ainda não realizaram o saque de suas cotas tiveram seus valores migrados para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), conforme esclarece a assessoria da Caixa Econômica Federal.

Mas esse dinheiro deve ser sacado do FGTS até 1º de junho de 2025. Depois dessa data, o valor será transferido para a União e não será mais possível recebê-lo.

Como consultar o saldo ou sacar os benefícios

Para detalhes de como proceder para consultar o saldo dos valores ou sacá-los, existem as opções de:

  • Entrar em contato com a central Alô Trabalhador pelo telefone 158
  • Enviar um e-mail para uf@economia.gov.br, substituindo as letras ‘uf’ pela sigla do estado em que reside
  • Aplicativo do FGTS
  • App do Caixa Trabalhador
  • Comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal

As contas de origem PIS ou Pasep podem ser identificadas a partir do nome do empregador, que estará cadastrado como Pasep – Programa do Servidor Público ou PIS.

Caso você possa sacar o benefício, o procedimento é feito com o cartão cidadão e a senha nos caixas eletrônicos. Correntistas da Caixa já podem transferir o valor diretamente para a conta. Fonte: Economia Uol

To Top