Últimas Notícias

TJDF julga recurso de Nelson Piquet, condenado a pagar R$ 5 milhões por racismo contra Lewis Hamilton

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) julga nesta quarta-feira o novo recurso apresentado pela defesa do ex-piloto Nelson Piquet, condenado em março a pagar R$ 5 milhões em indenização por danos morais coletivos após chamar o piloto inglês Lewis Hamilton de “neguinho”, em entrevista a um canal do YouTube.

‘Realizei meu sonho’: Hazard anuncia aposentadoria do futebol aos 32 anos

‘Xarás’: Além da filha com Bruna Biancardi, Neymar tem afilhada com apelido Mavie

A apelação, que contesta a sentença, será analisada pela 4ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. A ação foi movida por organizações de direitos humanos e LGBTI. As entidades sustentam que Piquet foi racista com Hamilton durante a entrevista, ao comentar um acidente no qual ele se envolveu, com Max Verstappen, genro de Piquet, em 2021, e compará-lo com um episódio que aconteceu com Ayrton Senna, em 1990.

“O neguinho meteu o carro e não deixou (desviar). O Senna não fez isso. O Senna saiu reto. O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro (Verstappen) se f… Fez uma p… sacanagem”, afirmou na ocasião.

O juiz Pedro Matos de Arruda, da 20ª Vara Cível de Brasília, em sua decisão, disse que “no sentido de que não se deve apreciar apenas a função reparatória da responsabilidade civil, mas também (e talvez principalmente) a função punitiva, exatamente para que, como sociedade, possamos nos ver algum dia livres dos atos perniciosos que são o racismo e a homofobia”.

Hamilton se pronunciou

O piloto inglês, além de sua equipe e outros representantes da categoria, se posicionou sobre o caso. Por meio de sua conta no Twitter, em português, ele disse, na época, que a prioridade no momento é “focar em mudar a realidade”.

“É mais do que linguagem. Essas são mentalidades arcaicas que precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e alvo de minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação”, escreveu o piloto em outra publicação, em inglês.

O piloto ainda provocou ao compartilhar um post que questionava: “quem diabos é Nelson Piquet?”. Hamilton disse, apenas, “imagine” (“imagina”, em inglês).

Mas essa não era a primeira vez que Hamilton se tornava alvo de provocação da família Piquet. Nelsinho Piquet, filho de Nelson e também ex-piloto, em outra oportunidade demonstrou que não é muito fã de Hamilton, assim como o pai.

Em dezembro de 2021, ele comemorou efusivamente o título mundial de Max Verstappen, quando o holandês conseguiu ultrapassar o britânico na última volta do GP de Abu Dhabi. Depois, apareceu vestindo uma camisa com a estampa “Patrão é meuzovo”. Patrão é como fãs e comentaristas apelidaram Lewis Hamilton.

Nelsinho competiu na Fórmula 1 entre 2008 e 2009. Em 2009, protagonizou escândalo na categoria, ao confessar ter provocado um acidente para beneficiar o companheiro de equipe, Fernando Alonso. Como comprovou que a ordem partiu dos chefes da Renault e colaborou com as investigações, passou sem punição pelo caso.

To Top