Benefícios

Se o pagamento do Bolsa Família foi bloqueado o que devo fazer?

Bolsa Família Saques
Cassiano Correia/Shutterstock.com

Se o pagamento do Bolsa Família foi bloqueado o que devo fazer? Em Juiz de Fora, quase 5 mil beneficiários estão com o Bolsa Família bloqueado. Desde o início do ano, o Ministério do Desenvolvimento Social realiza uma revisão nos dados do CadÚnico.

O Governo bloqueou o pagamento do Bolsa Família de quase 5 mil beneficiários em Juiz de Fora. A maioria é de beneficiários que moram sozinhos.

Desde janeiro, o Ministério do Desenvolvimento Social vem fazendo uma revisão nos dados do CadÚnico, que dá acesso a diversos benefícios sociais, entre eles o Bolsa Família.

Vale lembrar que a situação não significa a perda do benefício, mas que ele está bloqueado temporariamente.

Teve o benefício bloqueado?

Os beneficiários que tiverem o depósito bloqueado estão recebendo no aplicativo do Bolsa Família e no SMS do celular uma mensagem para procurar o setor do Cadastro Único da cidade onde mora para atualizar as informações.

Quem receber a mensagem deve ir a um posto de atendimento com um documento com foto e comprovante de residência – de preferência uma conta de luz. Se provar que mora mesmo sozinho, terá o pagamento do Bolsa Família retomado, inclusive com o depósito dos meses que foram suspensos.

Em Juiz de Fora, segundo a secretária de Assistência Social, Malu Salim, a checagem e o desbloqueio também serão feitos pela Prefeitura através de busca ativa, com visitas aos endereços das famílias que tiveram o benefício bloqueado.

“O que houve foi uma reorganização do bolsa família. Houve alguma inconsistência no cadastro das famílias unipessoais. Então essas famílias não perderam o benefício. […]. Às vezes é atualização mesmo que está acontecendo”.

Os beneficiários também podem ir até uma unidade do Centros de Referência em Assistência Social (CRAS).

Operação pente-fino

O Governo Federal realiza uma operação de pente-fino no CadÚnico, que dá acesso ao Bolsa Família. A revisão vai permitir que os recursos do benefício sejam distribuídos de forma adequada.

Em uma auditoria no ano passado, o Tribunal de Contas da União já havia constatado indícios de fraude nas regras do então Auxílio Brasil , implementadas pelo governo Bolsonaro.

Até março, haviam sido encontrados indícios de irregularidades em 2,5 milhões de benefícios. Desse total, 1,4 milhão foram excluídos da folha de pagamento de março. E o restante, cerca de 1 milhão, será excluído até dezembro. Fonte: G1

To Top