Esporte

Após polêmica com Umberto Louzer, Guarani inscreve Régis, que pode enfrentar o Santos

O meia Régis, um dos principais nomes do elenco do Guarani, foi inscrito pela equipe de Campinas no Paulistão. Após um desentendimento com o treinador Umberto Louzer, ainda antes da estreia do clube no estadual, o jogador não foi inscrito na competição, até este sábado, quando a situação parece ter sido resolvida.

No Campeonato Paulista, o Guarani disputou quatro partidas sem Régis, e não teve um bom desempenho. Foram uma vitória, um empate e duas derrotas, que colocaram o clube na terceira colocação do Grupo B, com quatro pontos, um atrás da Ponte Preta, primeiro time no G2 da chave.

A volta de Régis ao elenco animou o torcedor do clube, que via o jogador como uma de suas principais peças para a disputa do Paulistão 2024. Em duas passagens pelo Guarani, Régis fez 66 jogos e marcou dez gols. O jogador havia recebido sondagens de Goiás e CRB, mas a diretoria conseguiu contornar a situação.

Com contrato até dezembro, Régis volta a ficar à disposição da comissão técnica para o restante da temporada e pode fazer sua estreia no ano com a camisa do Guarani neste domingo, quando a partir das 18h, o clube encara o Santos, na Vila Belmiro, pela quinta rodada do estadual.

A novela Régis e Guarani começou na semana da estreia do clube na temporada, dias antes de encarar o Corinthians. No pós-jogo, o treinador Umberto Louzer deu explicações do motivo pelo qual o meia não havia sido inscrito no Paulista.

“Chegou muita coisa que eu tinha brigado com o Régis. Não teve briga alguma. Para esclarecer a situação, o que ocorreu de fato foi que a gente estava na nossa pré-temporada. Fizemos duas equipes de oito, as duas equipes participaram em tempos iguais. Ele não entrou na primeira equipe, mas não tinha titular ou reserva ali. Um segundo trabalho seria 11 contra 11, ele também não entrou na primeira equipe. A gente fez todas as trocas, tenho 27, 28 atletas de linha, não tem como. A gente procura ofertar conteúdo igualmente para todos. Seria injusto da minha parte ministrar menos tempo de trabalho”, explicou o treinador, que enfatizou estar tentando fazer o que é melhor para o Guarani e afirmou que não tem ninguém maior que o clube.

Umberto Louzer deixou a permanência de Régis nas mãos da diretoria, que conseguiu contornar a situação. Após o ocorrido, o Guarani, através do superintendente de futebol, Juliano Camargo, foi a público para garantir que o meia ainda faz parte dos planos do clube.

“Não teve afastamento. Eu conversei com o Régis, ele disse que estava de cabeça quente e isso está sendo tratado internamente. Vamos trabalhar a lista dos inscritos jogo a jogo até completar os 26 jogadores. A regra nos permite fazer isso até fevereiro”, disse o dirigente à Rádio Bandeirantes.

To Top