Últimas Notícias

Varandas de Paris se tornam preocupação de última hora para a abertura dos Jogos Olímpicos; entenda

A menos de seis meses dos Jogos Olímpicos, as autoridades enfrentam um possível problema de última hora: as varandas dos edifícios parisienses serão suficientemente resistentes para suportar as multidões que se reunirão durante a cerimônia de abertura?

Esportes: Seleção brasileira de basquete feminino perde para a Alemanha e está fora das Olimpíadas de Paris

Leia mais: Sócrates será homenageado na cidade onde a delegação brasileira ficará hospedada nas Olimpíadas de Paris

No dia 26 de julho, para a cerimônia planejada às margens do rio Sena e que os organizadores prometem que será grandiosa, famílias inteiras poderão lotar as varandas, junto com amigos convidados, para apreciar o espetáculo.

As autoridades estão trabalhando na ideia de lançar uma operação de verificação em grande escala da solidez das varandas após um alerta feito por profissionais do setor imobiliário.

— É um cenário que pode ocorrer e é absolutamente necessário garantir que as varandas suportem o peso e, sobretudo, que os gradis estejam perfeitamente fixados para evitar acidentes —, disse Olivier Princivalle, da Federação Nacional do Setor Imobiliário (FNAIM) para Paris.

Quedas, às vezes fatais, causadas devido a gradis em mau estado ou desabamento de varandas são comuns nos noticiários. Em 2023, duas pessoas ficaram gravemente feridas após caírem de um quinto andar em Paris devido ao desabamento parcial de uma varanda.

A lei obriga os proprietários, locadores sociais e administradoras de edifícios a verificarem o bom estado das varandas. Os Jogos Olímpicos representam um teste de resistência efêmero ao cumprimento das normas.

Os edifícios de estilo Haussman, característicos de Paris e construídos em meados do século XIX, costumam acomodar “2 ou 3 pessoas nas suas varandas” e “uma possível ocupação excessiva durante os Jogos pode ser complicada”, acrescenta Princivalle.

Alertada sobre a situação por profissionais do setor, a Chefia de Polícia de Paris explicou que não tem a competência nessa questão, mas que está trabalhando “com os seus parceiros” para encontrar uma “resposta”.

As associações do setor contactaram o Colégio de Arquitetos para elaborar um relatório técnico. Contudo, ainda é necessário definir quais áreas da capital precisariam ser examinadas.

Uma fonte da prefeitura de Paris indicou que a área deverá abranger, em princípio, os imóveis situados nos dois lados do Sena, “ao longo dos 6 quilômetros” previstos para a cerimônia de abertura dos Jogos.

To Top