Internacional

Lula diz, no Egito, que fará aporte para agência voltada a refugiados palestinos

mixvale

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (15) que o governo brasileiro fará um aporte para a agência da ONU que dá assistência a refugiados palestinos, a UNRWA. O líder brasileiro criticou os países que cortaram o envio de recursos para o organismo recentemente. Lula deu as declarações na sede da Liga Árabe, no Egito, organização que apoia a causa palestina.

No mês passado, países como Canadá, Austrália, Reino Unido e Estados Unidos anunciaram a paralisação dos repasses depois de serem divulgadas notícias sobre suposta conexão de funcionários da agência com o Hamas.

“No momento em que o povo palestino mais precisa de apoio, os países ricos decidem cortar a ajuda humanitária à agência da ONU para os refugiados palestinos. As recentes denúncias contra os funcionários da agência precisam ser devidamente investigadas, mas não podem paralisá-la”, declarou o presidente.

‘Reação desproporcional’

Segundo Lula, o contexto é de “terrível catástrofe humanitária” na Faixa de Gaza. Ele classificou como “desproporcional”, “indiscriminada” e “inadmissível” as ações militares de Israel na Faixa de Gaza em resposta aos ataques realizados pelo Hamas no final do ano passado.

“A reação desproporcional e indiscriminada de Israel é inadmissível e constitui um dos mais trágicos episódios desse longo conflito”, declarou o presidente brasileiro.

Lula voltou a defender uma reforma nos mecanismos de governança global. Também disse que o Brasil continuará defendendo o reconhecimento de um Estado palestino soberano.

To Top