Últimas Notícias

Sócia de empresa que se passou por funcionária em audiência trabalhista é condenada por má-fé

mixvale

A sócia de uma construtora foi condenada a pagar R$ 6 mil por má-fé, após se passar por funcionária da empresa. A mulher chegou a entrar na Justiça com um pedido de reconhecimento de vínculo, que foi negado pela 2ª Vara do Trabalho de Cuiabá.

Desenrola Brasil: programa de renegociação de dívidas já pode ser acessado pelo site ou pelo app da Serasa

Após carnaval: Estado do Rio tem 2.459 vagas de estágio, aprendiz e emprego abertas

Após deixar de atuar na empresa, a mulher buscou a Justiça do Trabalho pedindo o reconhecimento do vínculo de emprego e o pagamento de direitos trabalhistas que seriam devidos caso o pedido fosse reconhecido.

Durante o processo foram apresentados áudios pela empresa que provaram a participação da mulher participava da gestão financeira da construtora. Em uma ocasião, ela chegou a oferecer o próprio carro para pagar dívidas empresariais.

Canais do EXTRA no WhatsApp: Assine o canal INSS, FGTS e seus direitos e receba as principais notícias do dia

Diante das provas, o juiz disse que sempre houve, por parte da mulher, preocupação com o futuro da empresa e na captação de clientes. O magistrado destacou ainda que a réu era beneficiária de todo o trabalho. E concluiu que a mulher demonstrou desprezo pela verdade e tentou deturpar os fatos para obter vantagem econômica.

O juiz considerou que a mulher agiu de má-fé e impôs multa de 10% sobre o valor do processo. A ex-sócia foi condenada também a pagar os honorários dos advogados das empresas, também no percentual de 10% do valor da causa.

To Top