Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, com Londres renovando máxima após decisão de juros do BoE

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quinta-feira, 9, com destaque para Londres, que renovou seu recorde histórico de fechamento após a manutenção de juros pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês). Apesar de manter as taxas, a autoridade abriu espaço para cortes nas próximas reuniões. A exceção entre as bolsas foi Madri, que recuou pressionada por notícias corporativas.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,19%, a 516,76 pontos. Em Londres, o FTSE 100 avançou 0,33%, a 8.381,35 pontos.

O BoE está indubitavelmente ficando mais otimista, mas mantém suas opções em aberto diante das incertezas relacionadas aos números de inflação no curto prazo, avalia o ING, em nota a clientes, após o BoE deixar seu juro básico inalterado pela sexta vez consecutiva.

Na visão do banco holandês, o primeiro corte de juros do BoE só deverá vir em agosto. O ING ressalta, porém, que uma redução de juros poderá acontecer já na reunião de junho, visto que o presidente do BoE, Andrew Bailey, disse em coletiva de imprensa que um corte no mês “não está descartado”, mas também não é “fait accompli“, expressão em francês que significa “fato consumado”.

“Até agora, este ano, o FTSE 100 já ganhou mais de 8%, mais do dobro do seu ganho de 3,8% em todo o ano passado. O setor aeroespacial e de defesa tem impulsionado ganhos para o índice blue-chips listado em Londres, com ações da Rolls-Royce e da BAE Systems apresentando desempenho superior”, aponta a Interactive Investor. “A capitalização de mercado da BAE Systems aumentou cerca de um quarto desde o início de 2024 e subiu mais de 40% ao longo do período de um ano, apoiada pela instabilidade geopolítica no Oriente Médio, bem como pela guerra na Ucrânia, que impulsionaram a demanda para gastos com defesa”, afirma.

Mais cedo, o BBVA anunciou uma oferta hostil em nova tentativa de comprar o Sabadell, embora sua proposta inicial já tivesse sido rejeitada. A ação do BBVA tombou 6,34% em Madri, enquanto a do Sabadell avançou 2,70%.

Na cidade, o Ibex 35 caiu 0,90%, a 11.052,40 pontos. Também na Espanha, a Telefónica divulgou balanço melhor do que o esperado, mas sua ação recuou 0,57%. Analista da Renta 4, Iván San Félix Carbajo aponta em comentário que a Telefónica surpreendeu positivamente nos mercados espanhol, alemão e brasileiro, mas teve desempenho mais fraco em outras partes da América Latina.

Em Frankfurt, o DAX subiu 0,98%, a 18.679,71 pontos. Em Paris, o CAC 40 teve alta de 0,69%, a 8.187,65 pontos. Em Milão, o FTSE MIB ganhou 0,55%, a 34.339,32 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 subiu 1,59%, a 6.833,23 pontos.

To Top