Benefícios

Saiba como realizar o desbloqueio do Bolsa Família

Bolsa Familia
(Foto: Agência Brasil).

Beneficiários do Bolsa Família que encontram seus pagamentos suspensos agora dispõem de um passo a passo detalhado para desbloquear seus benefícios e assegurar a continuidade dos repasses. Devido às intensificações nas fiscalizações para eliminar cadastros irregulares, muitos usuários legítimos enfrentaram bloqueios não esperados. Para resolver essa situação, é necessário dirigir-se ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo, levando consigo a documentação exigida.

Documentos necessários para desbloqueio no CRAS:

  • Documento de Identidade (RG);
  • CPF;
  • Comprovante de Residência;
  • Comprovante de Renda;
  • Certidão de Nascimento ou Casamento.

Além do mais, o programa Bolsa Família anunciou ajustes no calendário de pagamentos para o mês de abril, incluindo antecipações que prometem beneficiar milhões de brasileiros. Os pagamentos serão realizados de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) de cada beneficiário.

Entendendo os bloqueios de pagamento:

O bloqueio dos pagamentos pode ocorrer por falta de informações obrigatórias no cadastro fiscal ou por pendências vencidas na conta. Essas medidas visam corrigir erros durante as verificações de cadastro e garantir que os beneficiários possam acessar seus recursos em tempos de necessidade, especialmente com as antecipações recentemente anunciadas.

Como proceder se o pagamento não for confirmado:

Caso o pagamento não apareça em nenhuma das contas ao final do dia programado, é essencial buscar atendimento em uma agência da Caixa ou em um posto de atendimento do Cadúnico na localidade do beneficiário. Dúvidas adicionais podem ser esclarecidas através do telefone 121 do Ministério da Cidadania.

O Bolsa Família é o maior programa de transferência de renda do Brasil, reconhecido internacionalmente por já ter tirado milhões de famílias da fome. O Governo Federal relançou o programa com mais proteção às famílias, com um modelo de benefício que considera o tamanho e as características familiares, aquelas com três ou mais pessoas passarão a receber mais do que uma pessoa que vive sozinha.

Além de garantir renda básica para as famílias em situação de pobreza, o Programa Bolsa Família busca integrar políticas públicas, fortalecendo o acesso das famílias a direitos básicos como saúde, educação e assistência social. O Bolsa Família vai resgatar a dignidade e a cidadania das famílias também pela atuação em ações complementares por meio de articulação com outras políticas para a superação da pobreza e transformação social, tais como assistência social, esporte, ciência e trabalho.


Quem tem direito?
Para ter direito ao Bolsa Família, a principal regra é que a renda de cada pessoa da família seja de, no máximo, R$ 218 por mês. Ou seja, se um integrante da família recebe um salário mínimo (R$ 1.412), e nessa família há sete pessoas, a renda de cada um é de R$ 201,71. Como está abaixo do limite de R$ 218 por pessoa, essa família tem o direito de receber o benefício.

Como Receber?
Em primeiro lugar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único, com os dados corretos e atualizados. Esse cadastramento é feito em postos de atendimento da assistência social dos municípios, como os CRAS. É preciso apresentar o CPF ou o título de eleitor.
Lembrando que, mesmo inscrita no Cadastro Único, a família não entra imediatamente para o Bolsa Família. Todos os meses, o programa identifica, de forma automatizada, as famílias que serão incluídas e que começarão a receber o benefício.

To Top