Últimas Notícias

Filha de Ana Maria Braga refuta críticas e fala de relação com a mãe: ‘A gente precisa de um tempinho uma da outra’

Morando num sítio em Botucatu, interior de Sâo Paulo, muitas vezes Mariana Maffeis recebe críticas sobre seu modo de vida, existência e subsistência. Professora de ioga, a filha de Ana Maria Braga escolheu uma forma, digamo, mais natural e quase analógica para criar sua família de quatro filhos. Defensora do parto humanizado e antivacina declarada, ela, muitas vezes, ouve o que não quer ao falar o que quer. Mas rebate as crítcas que a classificam de “reclusa” e “longe dos holofotes”.

Pai dos filhos de Ana Maria Braga, Eduardo de Carvalho posa com a neta

Após parto em casa, filha de Ana Maria Braga diz que não escolheu o nome do bebê e explica: ‘Intuindo’

“Eu vivo uma vida na qual tenho de dar atenção para os meus filhos, porque eu escolhi estar com eles. Isso não é escolher ser reclusa. Não tem outro lugar para eu estar, entende? Se eu estivesse longe do holofote, não teria uma conta no Instagram, não estaria querendo atuar da minha maneira, sem estar institucionalizada no guarda-chuva de uma empresa”, defende.

Em seu Instagram, a professora é seguida por 202 mil pessoas e compartilha momentos de seu cotidiano, conversa com o público, mostra o crescimento das crianças, e dá mentoria sobre parto natural. Um assunto que j´foi um complicador com a mãe.

Recentemente, Ana Maria Braga demonstrou preocupação com o estilo de vida da filha, que teve todos todos os quatro filhos em casa. “A conversa [com Mariana] às vezes fica difícil. Ela tem os argumentos dela [sobre parto natural] e eu os meus, mas não adianta: ela já tem 40 anos, a vida é dela, os filhos são dela, a responsabilidade é dela”, disse a apresentadora, em entrevista ao “Conversa com Bial”.

Mariana dá seu ponto de vista: “Minha mãe segue rotulando [o parto natural] como um tabu, porque ela talvez esteja desatualizada sobre o tema. Quando a gente não está vivendo aquilo, a gente fica reduzido ao pensamento comum, que ainda é muito manipulado. Existe uma manipulação para a gente ter medo desse momento, para achar que é uma emergência. E ela vem de uma geração e vive uma vida que não permite a ela ter a ótica que eu tenho“.

A professora ainda completa: “Posso dizer que, talvez, minha mãe tenha falado mais sobre parto natural com a Gisele Bündchen, como ela mesma afirma, do que comigo; O que considero normal e super aceitável em uma relação de mãe e filha. Ela presenciou um parto meu do começo ao fim. No parto do Varuna, ela estava presente”.

Apesar de alguma divergênciasobre o estilo de vida que cada uma segue, Mariana garante que ela e a aprsentadora se dão muito bem.

“Não quero ter razão sobre minha mãe, pelo contrário, sou muito grata a ela. É graças à consciência dela, de alguma maneira, que eu adquiri a minha, entende? Graças à criação dela, graças às oportunidades que ela me deu, e segue me dando na vida, eu posso fazer as coisas que eu considero que têm repercutido muito bem pra minha vida, têm me dado energia. Me sinto jovem, me sinto atuante, consciente das coisas. Eu devo isso a ela”, afirma Mariana, em entrevista a “Isto é”.

Quando podem, as duas estão sempre juntas. Nõ só em datas comemorativas, mas Mariana confessa, que um sumiço vez ou outra é recomendado “Graças à ela, eu posso estar perto dos meus filhos, também. Graças ao que ela construiu para mim, por ela sempre me colocou como partícipe de tudo. As divergências são normais de mãe e filha. Eventualmente, a gente precisa de um tempinho uma da outra — é normal de qualquer relação”.

To Top