Últimas Notícias

Corpo de jovem desaparecido na Baixada Fluminense desde o carnaval é encontrado em obra perto de casa de amigo

Desde o dia 9 de fevereiro deste ano, na sexta-feira de carnaval, Caio da Silva Rendão, de 21 anos, está desaparecido. Após um corpo ser encontrado por um pedreiro, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense do Rio, a menos de quinhentos metros da casa do jovem, a família acredita que o desaparecimento pode ter chegado ao fim. O suposto corpo de Caio foi encontrado enrolado em cobertores em um saco plástico preto, em uma vila de casas próxima à do jovem desaparecido, no quintal do melhor amigo de Caio, que tentou fugir com o corpo pelos telhados de outras residências vizinhas. Para a família, ele se tornou o principal suspeito do desaparecimento do rapaz.

Saiba mais: Polícia irá pedir imagens de câmeras e notificar clínicas de veterinária após cães serem envenenados

Veja também: Polícia apreende dez máquinas caça-níqueis em bar do Centro do Rio que pertenceria a comerciante assassinado em Vila Isabel

Segundo o RJTV, nesta segunda-feira, um pedreiro que trabalhava em uma casa no bairro Coelho da Rocha, em São João de Meriti, pediu ajuda ao encontrar um corpo enterrado em uma vila de casas. Vizinhos correram para ajudar, entre eles membros da família de Caio. A casa fica a menos de quinhentos metros do local, que acreditam que o corpo é do rapaz desaparecido há quatro meses.

— O pedreiro estava fazendo a obra e foi pegar uma areia. Quando ele enfiou a pá, ele viu que tinha um corpo ali. Ele chamou ajuda, meu irmão foi um dos que ajudou e, quando abriram, viram que tinha um saco preto e tinha um corpo em decomposição — conta Aline Machado, prima da vítima, ao RJTV. O corpo foi encontrado no quintal da casa do melhor amigo de Caio. Ainda não há laudo pericial que confirme a suspeita da família.

Conforme o relato de Aline, assim que o corpo em decomposição foi descoberto, Wesley Alves da Silva de Souza tentou fugir.

— Quando o amigo dele viu, saiu correndo. Ele pegou o corpo no saco e fugiu. Saiu pelos telhados de outras casas, só que não conseguiu fugir com o saco e largou no telhado e continuou fugindo pelas casas — relata Aline.

Ainda segundo a familiar, Caio era vendedor de uma loja de peças de moto e tinha saído de casa para pular um bloco de carnaval. A família estranhou o desaparecimento do rapaz e as mensagens enviadas pelo celular dele com informações imprecisas.

— Três dias depois que ele saiu, o Caio supostamente mandou mensagem para três amigos, o Wesley e mais dois, dizendo para eles pegarem o vídeo game dele e duas blusas do Flamengo na casa da mãe dele. O Wesley, que agora está foragido, foi pegar. Da segunda-feira (de carnaval) em diante, a gente não conseguiu mais contato com ele, e apagaram as mensagens enviadas para o celular da minha tia (mãe da vítima). Foi quando começamos a desconfiar que não era ele — completou Aline.

Ao RJTV, a família relatou que Caio tinha recebido cerca de R$ 7 mil da rescisão do último e com o primeiro salário do novo emprego. O dinheiro também sumiu.

Wesley Alves da Silva de Souza ainda não se apresentou à polícia.

To Top