Últimas Notícias

‘Para mim, você é um ET’, diz Tarcísio a Campos Neto

Depois de ter recebido na noite de ontem o “colar de honra ao mérito legislativo” na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) por sua boa atuação à frente da autoridade monetária, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foi homenageado num jantar no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, pelo governador Tarcísio de Freitas, como adiantou o colunista do GLOBO Lauro Jardim.

O governador descartou qualquer viés político no jantar, disse que Campos Neto é seu amigo pessoal e que tratou-se de um ‘encontro entre amigos’.

— O Roberto Campos é meu amigo. Tenho profunda admiração. É um cara que só quer ajudar. Ele tentou ajudar muito o governo Bolsonaro como vem tentando ajudar também o governo Lula. É uma bobagem criar um estressamento com uma pessoa tão técnica, tão inteligente, tão preparada. É um cara que tenho muito respeito, admiração. Eu brinco com ele, ‘para mim você é um ET’. Eu já trabalhei com gente inteligente, mas o Roberto é top cinco — afirmou o governador durante agenda pública em São Paulo, criticando aqueles que viram no jantar um gesto político.

Campos Neto tem sido alvo de críticas do presidente Lula por causa da demora em baixar a taxa de juros Selic, ainda na casa dos dois dígitos (10,50%). Já Tarcísio é apontado como principal nome da oposição para concorrer ao Planalto enfrentando o candidato do PT, em 2026, dada a inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Para o jantar foram convidados ex-ministros do governo Bolsonaro, como Fábio Faria, Bruno Bianco e Wagner Rosário. Também estiveram presentes alguns representantes do mercado financeiro, convidados pelo próprio Campos Neto. O ex-ministro da Economia, Paulo Guedes, não participou da comemoração, nem o ex-presidente Bolsonaro. Tarcísio afirmou que apenas os amigos mais próximos foram convidados para o evento.

A medalha oferecida pela Alesp a Roberto Campos foi dada pela relevância da carreira do economista e pelas medidas adotadas por ele à frente do BC, que contribuíram para o desenvolvimento nacional, além da implementação do pix e do sistema de pagamentos instantâneo, entre outras novidades.

Nomeado por Bolsonaro, foi o primeiro presidente do BC autônomo. Seu mandato se encerra no final deste ano.

Autor da homenagem a Campos Neto na Alesp, o deputado estadual Tomé Abduch (Republicanos) disse que “a coragem do presidente do Banco Central de manter a linha sem se preocupar com ideologia é digna do recebimento da medalha”. O deputado é crítico da política econômica do governo federal — que, segundo ele, vai na contramão do equilíbrio fiscal e da segurança jurídica — e defende o aliado:

— A gente não pode colocar pressão num presidente do Banco Central para baixar a taxa de juros na canetada — afirmou o deputado, que também participou do jantar.

Abduch disse que o evento foi institucional e que “de forma nenhuma queremos tornar isso um evento politizado ou polarizado”.

No último final de semana, em evento de empresários do Grupo Esfera, no litoral de São Paulo, Tarcísio de Freitas disse que é e continuará sendo bolsonarista. Antes, ele havia feito elogios públicos a ex-presidente Dilma Rousseff. Freitas trabalhou com Dilma comandando o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), antes de assumir o Ministério da Infraestrutura na gestão Bolsonaro.

To Top