Últimas Notícias

Com naturalidade e Messi desencantando, Argentina bate Canadá e fica a um passo do bi da Copa América

mixvale

Após a seleção da Argentina ter encerrado um jejum de quase três décadas, na última Copa América, tudo agora tem parecido muito natural no caminho das vitórias para a equipe treinada por Lionel Scaloni. A campanha no torneio atual, disputado nos EUA, começou com a albiceleste ostentando o status de favorita e vencendo o Canadá por 2 a 0. Semanas depois, uma vitória pelo mesmo placar contra o mesmo adversário, com gols de Julián Álvarez e Lionel Messi, nesta noite em New Jersey, garantiu a vaga na final.

‘Foi um fracasso’: ‘Sincerão’, Mbappé analisa sua Eurocopa após eliminação

Leia mais: Espanha vence a França e vai à final da Eurocopa 2024

É um grande momento em todos os sentidos para a seleção campeã mundial no Catar, em 2022. A única coisa que vinha sendo anômala até agora era a falta de bolas na rede do camisa 10, que cada vez mais se torna uma entidade no país sul-americano. Contra os canadenses, então, tratou de marcar seu primeiro gol nesta Copa América.

O lance não foi plástico: no segundo tempo, Messi desviou na pequena área um chute de Enzo Fernández. Pouco importa. Hoje em dia, ele é um capitão, líder e vencedor em cores azuis e brancas, fazendo gols quando lhe parece mais adequado. Agora, pode vencer seu quarto título em três anos, já que a seleção também levou a Copa América de 2021, que tirou um peso da costas, e a Finalíssima, em 2022.

Nos primeiros 45 minutos, Álvarez já tinha tratado de abrir o placar após receber de Rodrigo de Paul e vencer o goleiro adversário. Não foi o jogo mais brilhante dos hermanos e a campanha neste torneio passa longe de qualquer espetáculo. No entanto, fazendo o necessário e se aproveitando de uma chave que facilitou bastante seu caminho, a Argentina pode se dar ao direito de dosar esforços.

Aliás, não foi ameaçada em nenhum momento. O Canadá vive um processo de crescimento no esporte e até escreveu bons capítulos, que o deixam satisfeito, mas a disparidade ainda é enorme. Em ritmo de amistoso, os argentinos se impuseram quando precisaram e administraram uma vaga que já era muito provável.

No próximo domingo, às 21h (de Brasília), em Miami, a equipe de Scaloni deve encarar seu maior desafio, jogar contra Uruguai ou Colômbia — os dois se enfrentam amanhã — pelo cinturão do continente. O time de Marcelo Bielsa foi o único que lhe venceu recentemente, em Buenos Aires, pelas Eliminatórias, enquanto o conjunto liderado por James Rodríguez tem ensaiado o melhor futebol.

Independentemente, porém, de quem subir ao campo contra os atuais campeões de tudo, será preciso uma partida de erro zero para encerrar uma maré de glórias que vem sendo rotineira. E se o nível crescer, a Argentina deve crescer junto, tal qual o titã que voltou a ser.

To Top