Brasil

Mortes nas rodovias federais atingem maior número em 6 anos: Mais de 5.500 Óbitos em 2023

policia rodoviaria federal

O ano de 2023 registrou o maior número de mortes em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras em seis anos, de acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O levantamento revelou um total de 5.621 vidas perdidas, representando um aumento de 3,34% em relação ao ano anterior. Além disso, houve um aumento no número total de acidentes e feridos, destacando a urgência de medidas para prevenir tragédias nas estradas.

Aumento nos Acidentes: O relatório da PRF aponta que o número total de acidentes aumentou para 67.658 em 2023, um aumento de 4,82% em relação ao ano anterior. Os feridos também aumentaram em 7,33%, chegando a 78.322 pessoas feridas ao longo do ano.

Estados com Mais Ocorrências: Minas Gerais liderou em número de acidentes, com 8.988 registros nas estradas federais, seguido por Santa Catarina, com 7.791, e Paraná, com 7.085. Por outro lado, estados como Amazonas, Amapá, Roraima e Acre registraram os menores números absolutos de acidentes.

Prevenção e Segurança: O coordenador-geral de Segurança Viária da PRF, Jeferson Almeida, destacou que os acidentes são frequentemente causados por alta velocidade, ultrapassagens perigosas e falta de atenção dos motoristas. Ele enfatizou a importância do respeito à sinalização, à distância segura entre veículos e ao uso correto dos dispositivos de segurança.

Conscientização e Fiscalização: Almeida também enfatizou a necessidade de conscientização dos motoristas, especialmente durante períodos de grande movimento nas estradas, como o Carnaval. Ele alertou para os riscos da mistura de álcool e direção, incentivando os motoristas a deixarem seus carros em casa se forem consumir bebidas alcoólicas.

Estado das Rodovias: O Brasil possui uma extensa malha rodoviária federal, totalizando 67.612 km. No entanto, a pesquisa CNT de Rodovias 2023 revelou que uma parcela significativa dessas estradas está em condições precárias, com 62,9% em estado regular, ruim ou péssimo, destacando a necessidade de investimentos em conservação e manutenção.

To Top