Benefícios

Imposto de Renda pode ser parcelado em até 8x

IR 2019: errei a conta da restituição e o dinheiro não caiu. E agora?

Imposto de Renda pode ser parcelado em até 8x. Os contribuintes que preencheram a declaração de Imposto de Renda e acabaram devendo grana para o Fisco podem parcelar a dívida em até oito prestações.

A Receita determina que nenhuma das parcelas seja menor do que R$ 50. Se o valor do imposto devido for inferior a R$ 100, ele deve ser quitado à vista.

O professor Tiago Slavov, do curso de ciências contábeis da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado), atenta que os contribuintes que parcelarem o imposto a pagar ficam sujeitos ao pagamento de juros de 1% ao mês mais Selic, atualmente na faixa de 6,5% ao ano.

“Se o contribuinte tem condições, é preferível pagar o Imposto de Renda à vista, porque geralmente os ganhos de aplicações financeiras são inferiores aos juros cobrados pelo parcelamento”, orienta Slavov.

O coordenador do curso de ciências contábeis da UNICID (Universidade Cidade São Paulo), Wagner Pagliato, destaca ainda que as parcelas podem ser pagas em débito automático ou via DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais). Ele, no entanto, lembra que a escolha pelos boletos pode exigir a busca por um contador para a atualização dos juros a partir da segunda parcela.

Arte R7

Imposto de Renda 2019: este é o último fim de semana antes do fim do prazo para enviar a declaração; evite multas

Este é o último final de semana antes de terminar o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2019. Os contribuintes têm até as 23h59 de terça-feira (30) para enviar os dados à Receita Federal e, assim, evitar o pagamento de multas.

Para o contador Antônio de Lima Pimentel, que é especialista em direito tributário e sócio da Contabilidade Carioca, são várias as razões para que tantos contribuintes deixem para enviar a declaração nos últimos dias de prazo. A principal delas, avalia, é cultural. “A nossa cultura tem que mudar, isso não tem como. Os brasileiros não estão acostumados a deixar tudo sempre para a última hora”, disse.

Mas há também questões práticas que fazem o contribuinte postergar o preenchimento e envio da declaração, tais como, por exemplo, a falta de algum documento de registro de bens ou ausência de um comprovante de despesa médica. Pimentel é enfático que a declaração seja enviada dentro do prazo, mesmo com erro ou com informações incompletas.

Fonte: R7

To Top