Preço da carne vai cair, mas o consumidor ainda pagará caro
Economia

Preço da carne vai cair, mas o consumidor ainda pagará caro

xcarne.jpg.pagespeed.ic .w1ZUhUvwF8

Preço da carne vai cair, mas o consumidor ainda pagará caro. O preço da carne bovina subiu de patamar, e os consumidores vão pagar mais por ela no próximo ano.

Os valores poderão não ser tão elevados quanto dos de agora, mas vão ser maiores do que os praticados de janeiro a setembro de 2019.

A avaliação é de Antonio Camardelli, presidente da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), entidade que representa 31 empresas do setor. Segundo ele, a alta atingirá tanto o boi no pasto como a carne nos açougues e nos supermercados.

Dados do IBGE mostram que, somente em novembro, a inflação da carne teve alta de 8,09% no país e de 10,01% no estado de São Paulo, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Segundo Camardelli, no próximo ano, as exportações devem chegar ao recorde de 2,1 milhões de toneladas, trazendo para o país US$ 8,6 bilhões (cerca de R$ 35,70 bilhões hoje). Em volume, o crescimento será de 13% ante 2019.

Como já ocorreu neste ano, a China será a grande consumidora em 2020, ficando com 25% do volume de exportação das carnes brasileiras. Ao todo, China e Hong Kong vão comprar 44% da carne bovina.

Volume maior
Neste ano, as receitas externas com a carne bovina deverão atingir US$ 7,4 bilhões (cerca de R$ 30,71 bilhões), 13% mais do que em 2018. Ao todo, será 1,8 milhão de toneladas exportadas, uma alta de 11%.

O aquecimento do mercado de carnes começou em outubro, quando a China entrou pesado nas compras de proteínas após seu rebanho suíno sofrer com uma doença. No mês passado, só sozinho, o país comprou 83 mil toneladas de carne bovina do Brasil. (Folha)

To Top