Análise Aposentadoria: Confira dicas para fugir demora concessão
Benefícios

Análise Aposentadoria: Confira dicas para fugir demora concessão

INSS Previdência Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo Consignado

Análise Aposentadoria: Confira dicas para fugir demora concessão. A correria e a pressa para se aposentar podem agravar ainda mais a demora na análise do benefício. A Previdência Social tem a obrigação de orientar, analisar – em 45 dias – e conceder ao trabalhador o benefício mais vantajoso.

Atualmente, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está atrasado. Mesmo assim, o segurado pode ter o caso analisado com mais rapidez, basta fazer um Raio-X da situação previdenciária, antes de ingressar com o pedido.

Aposentado do INSS pode barrar e até restituir descontos indevidos(Abre numa nova aba do navegador)

1. Tudo é digital

Quase tudo no INSS é digital e as pessoas que não têm familiaridade com a informática encontram dificuldade para acessar a internet, digitalizar documentos e incluir na plataforma “Meu INSS”. Isso induz ao erro. Os documentos devem estar legíveis. O trabalhador que não domina esta tecnologia deve pedir a ajuda de um amigo, da família ou até de um profissional.

2. CNIS e dados cadastrais

Os benefícios são concedidos e calculados com base nas informações que estão no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

A Previdência pode exigir que o segurado regularize e corrija imperfeições no CNIS e isso certamente vai retardar a análise do processo – e o que é pior, o benefício pode ser negado ou concedido errado.

É importante que todos os dados sejam analisados e corrigidos antes do requerimento do benefício.

3. Resumo do pedido

Como são muitos casos para a Previdência analisar, além do requerimento padrão fornecido pela Previdência, o segurado ou o dependente podem fazer um resumo detalhado do que pretendem. Isso ajudará o servidor na hora da análise do processo.

Apontar o tempo de serviço, os períodos que precisam ser comprovados, o valor de contribuições omitidas, bem como detalhes sobre eventual doença ou deficiência – se for o caso – podem tornar a análise menos complexa.

4. Documentação completa e em ordem

3 opções após a negação do benefício pelo INSS(Abre numa nova aba do navegador)

Quando se tratar de tempo de serviço, principalmente com atividades especiais, os documentos devem ser apresentados na ordem cronológica: carteira de trabalho, carnês de contribuição (Guia da Previdência Social), Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) e outros.

A documentação incompleta pode prejudicar o direito ao benefício e o INSS pode parar a análise do processo, e pedir novos documentos.

5. Saber o que quer

Quando o segurado faz o pedido de um benefício no “Meu INSS”, marca a aposentadoria que ele quer. Mas, o sistema do INSS deveria ser mais específico porque os servidores têm que analisar em qual regra o trabalhador vai se enquadrar.

Assim, para ganhar velocidade no processo – e até mesmo para conseguir o benefício pretendido, evitando recursos e mais demora na análise – é bom deixar bem claro em qual regra o contribuinte quer se aposentar: direito adquirido, regra de transição ou novas regras.

6. Conhecer os recursos

Apesar de existirem muitos recursos para se discutir a decisão da Previdência, quando a aposentadoria é negada, existem muitas ferramentas à disposição do segurado para ter um resposta mais rápida: novo requerimento, alterar a data do requerimento (reafirmação da DER) ou entrar com processo na Justiça.

Veja os motivos que podem levar o INSS a negar pedido de Benefício(Abre numa nova aba do navegador)

7. Se quer continuar trabalhando

Quem quer aposentar e continuar trabalhando tem que deixar isso claro para não ter problema na empresa, nem ter que discutir isso na Previdência.

  • O servidor público celetista pode mostrar que tinha o tempo antes da Reforma da Previdência;
  • Quem vai ter aposentadoria especial pode mudar de atividade e continuar trabalhando;
  • Quem não está totalmente incapaz pode receber benefício por incapacidade e continuar trabalhando.

Fonte: G1

To Top