Xuxa fala que Junno a ajuda a superar abusos sexuais sofridos na infância

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma das figuras mais conhecidas do Brasil, Xuxa, 57, vem mudando a forma como lida com o público ao longo dos anos. “Não criei um personagem, mas fazia o que mandavam, e isso talvez tenha levado a uma persona”, disse a Rainha dos Baixinhos ao recordar sua postura no início da carreira.

“Eles me viam como uma rainha intocável. Obviamente, em casa, não usava minhas botas, mas camisetão. E, se me fotografassem daquele jeito, as pessoas se chocavam. Ninguém gosta da gata borralheira, só querem ser a Cinderela. Mas sempre soube quem eu era, minha índole não mudou. Nunca cheguei em casa e pensei que tinha feito algo que não queria. Pelo contrário, deixei de fazer e falar muita coisa”, revelou à revista Cláudia.

Xuxa salientou que atualmente não abre mão de dizer o que pensa sobre o assunto que bem entender. “Já foi o tempo em que eu me calava ou ficava na minha. Não gostaram? Aí é que vou mesmo por esse caminho, faço dois ou três posts em vez de um”, disse a artista, comentando os ataques que recebe nas redes sociais quando se posiciona de maneira contundente em relação ao veganismo ou a questões ligadas aos diversos tipos de preconceito, por exemplo.

“Se me desrespeitarem, vou desrespeitar também botando mais imagens, porque eu sei que isso atinge a conduta diária deles. Serve para tudo: política, religião, o que eu achar que está errado. Se um pastor diz que Deus não gosta de gay, eu não vou ficar calada de jeito nenhum. Se ouço um político falando que tem que bater em criança para educar, vou juntar todas as pesquisas que conseguir e mostrar quantas crianças morrem por ser violentadas e abusadas diariamente. Aquela personagem que sem querer aconteceu nos anos 1980, que falava o que as pessoas queriam e se vestia de maneira específica, está longe de ser esta de agora. Só vou fazer aquilo em que acredito. Aprendi com minha mãe a respeitar quem me respeita”, pontuou.

Na sincera entrevista, Xuxa falou também sobre um momento traumático da sua vida, que deixou sequelas emocionais até os dias atuais: os abusos sexuais que sofreu na infância. “Tomo de três a quatro banhos por dia, antes e depois de transar sempre. Demoro bastante para me sentir limpa. Vejo que ninguém mais faz isso”.

A apresentadora contou que o namorado Junno Andrade, 57, tem sido muito importante em seu processo de superação. “Tem questões no meu relacionamento que são difíceis. O Ju está me ajudando a virar a chave. Eu não gostava que ele fizesse algumas coisas, porque me lembrava do namorado da minha avó tocando em mim, abusando de mim. Hoje, o Ju fala: ‘Quem está fazendo isso é alguém que ama você, não aquela pessoa’. Eu chorava no começo, mas não quero colocar essa barreira na minha vida. Aos poucos, vou avançando”, ponderou Xuxa, que em seguida emendou ter tentado, sem sucesso, tratar seus traumas com uma especialista.

“Fiz terapia quando meus pais se separaram e a primeira coisa que falei foi do abuso. Só que escolhi a pessoa errada. Eu não conseguia dormir, e ela queria resolver isso. Aí, a sessão envolvia dormir e falar com umas almofadas quando acordasse, um processo interessante até. Uma vez, acordei e ela estava me tocando. Fui lá resolver algo e só piorou”, relembrou a artista.

Em outro momento, Xuxa relatou ter sofrido pressão estética em alguns relacionamentos que teve ao longo da vida. “Tinha menos idade, a pele era bonita, o corpo era melhor na minha visão e na dos outros, mas sofria pressão”. A apresentadora relembrou um episódio que viveu com Luciano Szafir, 51, logo que teve Sasha, 22.

“Quando a gente tem filho, deixa de se cuidar. Mesmo voltando a trabalhar um mês e meio depois do parto, eu queria cuidar da Sasha, e não de mim. Um dia, o Luciano chegou em casa e perguntou se eu não ia fazer as unhas, se não estava tomando sol”. Xuxa acredita que ele tenha ficado decepcionado ao vê-la sem tantos cuidados, algo que sempre adorou fazer.

“Tive vontade de responder um monte de coisas, mas não falei nada porque entendi o que estava acontecendo. Ele queria que eu olhasse mais para mim, talvez não tivesse gostado do que estava vendo ali. E devo ter tido outros relacionamentos assim, em que me viam acordando e não era o que esperavam”, concluiu Xuxa, em seguida emendando que a rotina com Junno é diferente de tudo o que já viveu anteriormente.

“O Ju gosta de qualquer jeito. Se eu acordo com o cabelo em pé, ele acha lindo, se eu engordo, me chama de gostosa, elogia a carequinha. A voz rouca é sexy e quando começa a voltar é a voz da Xuxa. Para ele, está tudo certo”, elogiou a apresentadora.