Mulheres possuem novas regras no INSS para se aposentar
Benefícios

Mulheres possuem novas regras no INSS para se aposentar

auxílio emergencial caixa tem

Mulheres possuem novas regras no INSS para se aposentar. Até 2019, as mulheres se aposentavam com 60 anos, mas, a partir deste ano, essa idade mínima começa a aumentar gradativamente, de 60 anos e seis meses em 2020 até 62 anos em 2023.

Com isso, pessoas nascidas depois de 1º de julho só conseguirão se aposentar por esse critério a partir de 2021, afirma o especialista Hilário Bocchi Junior. Isso acontece porque mulheres nessa condição só completarão 60 anos e meio depois de janeiro do ano que vem, quando a idade mínima já será de 61 anos.

Para os homens, a regra continua sendo de 65 anos e, para ambos, é preciso ter pelo menos 15 anos de contribuição.

Cada ano vale mais 2% na aposentadoria

A aposentadoria por idade corresponde a 60% da média dos salários de contribuição. Cada ano que ultrapassar 15 anos de contribuição para a mulher, e que superar 20 anos para o homem, terá um aumento de 2%.

Como o tempo mínimo de contribuição para ter aposentadoria por idade é de 15 anos, há um certo desprezo à somatória do tempo de serviço.

Assim, uma mulher com 20 anos de serviço pode ter 10% a mais no valor da aposentadoria.

Portanto, é bom fazer as contas e acertar a documentação do passado porque, além da idade e dos 15 anos de carência, quanto mais tempo de contribuição for somado, maior será o valor do benefício.

Médicos do INSS
RIO DE JANEIRO, RJ 25.09.2020: INSS-SERVIÇOS – Em atendimento a Recurso da Advocacia-Geral da União (AGU), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) determinou que médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que não compõem grupos de risco para a covid-19 devem retornar aos locais de atendimento para desenvolver trabalho presencial. Movimentação na área externa da agência do INSS situada em Copacabana, zona sul da cidade, nesta sexta-feira (25). Esta agência de Copacabana está apta para retomar com atendimento presencial. (Foto: Andre Melo Andrade/Immagini/Folhapress)

Qual tempo de serviço vale para ter o aumento

As contribuições pagas em atraso não valem para carência, mas servem para computar o aumento de 2% por ano. Em alguns casos, as contribuições pontuais podem triplicar o valor do benefício.

Pelo menos 15 anos têm que ser de contribuições válidas, pagas regularmente e em dia. Então é hora de conferir a carteira de trabalho, os carnês de contribuição, de checar o extrato do INSS e ver se está tudo certo.

Os demais períodos, mesmo que tenham sido recuperados do passado com pagamento em atraso ou de períodos com alguma irregularidade que não permita a somatória para fins de carência, podem ser utilizados para aumentar o valor do benefício.

Não perca nenhum benefício

Tem muita gente que para de contribuir para o INSS porque já completou os 15 anos de carência e só fica esperando a idade chegar. É claro que economizar dinheiro é bom e parar de pagar é uma forma de fazer isso, mas é preciso ter consciência do que está sendo feito.

Depois que as contribuições são suspensas, o segurado continua tendo direito aos benefícios previdenciários por um período que varia de três a 36 meses. Depois, não dá para pedir benefícios por incapacidade.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Assim, quem para de contribuir pode ficar sem auxílio doença, aposentadoria por invalidez e pôr em risco a proteção dos dependentes (pensão por morte e auxílio reclusão). Cuidado.

To Top