Prefeitura de SP descarta ampliar limite de 35% nas escolas em fevereiro
Últimas Notícias

Prefeitura de SP descarta ampliar limite de 35% nas escolas em fevereiro

portalmixvalenoticias-1280x728-1

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Prefeitura de São Paulo não vai aumentar o limite de alunos para aulas presenciais em fevereiro. As escolas públicas e particulares podem receber até 35% das matrículas, mas parte delas tem pressionado para que o limite seja ampliado para 70%.

A gestão Bruno Covas diz que a avaliação para alterar o limite só deve ocorrer no fim do mês. A previsão é de que na próxima semana seja concluída mais uma etapa do inquérito sorológico que irá observar o impacto do retorno das aulas presenciais na cidade.

Donos de escolas particulares têm pressionado a gestão municipal para liberar o atendimento de mais alunos, alegando que o governo do estado, sob João Doria (PSDB), já autorizou a ampliação. Algumas unidades contavam que a liberação sairia ainda nesta semana para que pudessem receber mais estudantes já na próxima segunda (22).

Pelas regras do Plano São Paulo, escolas em cidades na fase amarela da pandemia podem atender até 70% dos alunos. No entanto, os municípios podem ter regras mais restritivas do que as do governo estadual.

Apesar de ter ampliado o limite, a própria gestão Doria decidiu manter o limite de até 35% dos alunos nas escolas estaduais. O limite menor na capital foi definido antes mesmo de a cidade progredir para a fase amarela. Um decreto de 27 de janeiro, quando São Paulo ainda estava na faixa laranja, restringiu o atendimento a 35% e condicionou a ampliação a uma nova avaliação da Secretaria Municipal de Saúde.

O secretário Edson Aparecido disse à Folha que ainda é cedo para mudar a regra, já que é preciso mais tempo de análise do impacto da reabertura das escolas na cidade. “Precisamos de 15 dias para observar os efeitos da volta às aulas.”

As escolas municipais começaram a receber alunos nesta segunda (15), as estaduais retomaram no dia 8 e a maioria das particulares, no dia 1º de fevereiro.

A prefeitura avalia que o inquérito sorológico deve observar os efeitos após 15 dias da reabertura das escolas de todas as redes do município.

O secretário municipal de Educação, Fernando Padula, também já afirmou que o retorno das aulas presenciais deve ocorrer de forma gradual para que seja seguro

To Top