Esporte

Dorival afirma ser contra técnico estrangeiro na seleção: ‘Só se for o Guardiola’

O técnico Dorival Júnior, atualmente sem clube após deixar o Flamengo no mês passado, também deu sua opinião sobre quem deve ser o próximo treinador da seleção brasileira, cujo comando está vago desde a eliminação para a Croácia na Copa do Mundo do Catar. Perguntado sobre a possibilidade de um estrangeiro assumir o cargo deixado por Tite, o treinador rechaçou a ideia e defendeu que a posição deve ser preenchida por um brasileiro.

“A não ser que seja o melhor do mundo, que na minha opinião é o Guardiola, não é para ter (um estrangeiro). É para ter um brasileiro”, afirmou Dorival, em participação no programa Seleção Catar, do canal SporTV.

Ao falar sobre o pensamento de que os treinadores brasileiros podem não estar tão bem preparados como os estrangeiros, Dorival Júnior relembrou dos períodos em que esteve fora do país e disse sua opinião sobre o atual cenário dos comandantes do país.

“Desde 2013 eu sai para observar trabalhos fora do país. Neste período eu não vi nada de diferente daquilo que é feito no Brasil. Existem algumas variações sim, mas nada que chamasse tanta atenção. Agora, nós temos que entender, eles passaram a estudar e se preocupar com o futebol há mais de 30 anos”, afirmou.

Para Dorival Junior, o problema da falta de estudos não é apenas culpa dos técnicos, mas trata-se de um problema mais profundo. “A CBF se preocupou com isso (o estudo)? Nós nos preocupamos com isso? As federações se preocuparam? Nem hoje acontece isso. Tanto que até hoje os nossos cursos não são reconhecidos fora do país. Um treinador brasileiro não pode sair porque a UEFA não reconhece os nossos cursos. Até hoje. Nós recebemos profissionais de todo mundo e não podemos sair para trabalhar.”

SAÍDA DO FLAMENGO

Questionado durante o programa sobre sua saída do Flamengo, que aconteceu nas últimas semanas de maneira conturbada, Dorival Júnior também não escondeu a sinceridade ao falar.

“Foi uma surpresa. Sou muito sincero com vocês. Por tudo que vivemos no Flamengo este ano. Eu cheguei em junho. E o ambiente que eu encontrei era preocupante. Não aqui culpando quem tenha saído, jamais. Quando você vai para um novo trabalho você precisa ter alguma coisa construída na sua cabeça. Não tem que ficar lamentando uma outra situação ou o que tenha passado com profissionais anteriores”, disse o treinador.

“A diretoria tomou uma posição e eu respeito. Não vou ficar aqui criticando a decisão. Eles estão ali para avaliar a melhor decisão para o clube. É natural que tenha criado, sim, uma expectativa de continuidade, mas muito pelo ambiente que foi criado.”

No comando do Flamengo em 2022, Dorival Júnior conquistou a Copa do Brasil e a Libertadores. No ano, o treinador esteve no comando do time em 43 jogos, sendo 26 vitórias, oito empates e nove derrotas.

To Top