Benefícios

Revisão no CadÚnico ameaça suspender Bolsa Família

Bolsa Familia Cadastro Auxilio Brasil
rafapress/Shutterstock.com

O Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social (MDS) anunciou uma fiscalização mais rígida no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), o que pode impactar diretamente os beneficiários do Bolsa Família. A iniciativa visa assegurar que os benefícios sejam direcionados para as famílias que realmente cumprem os requisitos necessários, com foco especial na verificação da renda familiar e na composição dos lares.

Entre os mais vulneráveis a estas novas medidas estão as mães solteiras, que representam um grupo prioritário dentro do programa. Para evitar o risco de suspensão ou cancelamento do benefício, é fundamental que estas famílias mantenham suas informações sempre atualizadas, garantam a frequência escolar de seus filhos, cumpram os requisitos de acompanhamento nutricional para crianças abaixo de 7 anos e mantenham as vacinações em dia, respeitando também o limite de renda per capita estabelecido pelo programa.

Alertas de possíveis bloqueios ou irregularidades serão enviados aos beneficiários por meio de SMS, pelos aplicativos Caixa Tem e Bolsa Família, e-mail ou ainda através dos extratos bancários. Aqueles que receberem notificações terão até 60 dias para procurar o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo para regularizar sua situação, evitando assim a interrupção do auxílio.

Esta estratégia governamental faz parte de um esforço maior para promover a justiça social e garantir que os recursos do Bolsa Família cheguem a quem realmente necessita, evitando fraudes e distribuições indevidas de recursos públicos. É essencial que os beneficiários do programa se mantenham vigilantes e responsivos às exigências do CadÚnico para evitar problemas futuros com seus benefícios.

O Bolsa Família é o maior programa de transferência de renda do Brasil, reconhecido internacionalmente por já ter tirado milhões de famílias da fome. O Governo Federal relançou o programa com mais proteção às famílias, com um modelo de benefício que considera o tamanho e as características familiares, aquelas com três ou mais pessoas passarão a receber mais do que uma pessoa que vive sozinha.

Além de garantir renda básica para as famílias em situação de pobreza, o Programa Bolsa Família busca integrar políticas públicas, fortalecendo o acesso das famílias a direitos básicos como saúde, educação e assistência social. O Bolsa Família vai resgatar a dignidade e a cidadania das famílias também pela atuação em ações complementares por meio de articulação com outras políticas para a superação da pobreza e transformação social, tais como assistência social, esporte, ciência e trabalho.


Quem tem direito?
Para ter direito ao Bolsa Família, a principal regra é que a renda de cada pessoa da família seja de, no máximo, R$ 218 por mês. Ou seja, se um integrante da família recebe um salário mínimo (R$ 1.412), e nessa família há sete pessoas, a renda de cada um é de R$ 201,71. Como está abaixo do limite de R$ 218 por pessoa, essa família tem o direito de receber o benefício.

Como Receber?
Em primeiro lugar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único, com os dados corretos e atualizados. Esse cadastramento é feito em postos de atendimento da assistência social dos municípios, como os CRAS. É preciso apresentar o CPF ou o título de eleitor.
Lembrando que, mesmo inscrita no Cadastro Único, a família não entra imediatamente para o Bolsa Família. Todos os meses, o programa identifica, de forma automatizada, as famílias que serão incluídas e que começarão a receber o benefício.

To Top