Benefícios

Brasileiros sonham com o prêmio milionário da Dupla de Páscoa

Novos-Volantes-Loterias-CAIXA-Dupla-de-Pascoa-700x394 (1)

Quem nunca sonhou em ganhar na loteria? Essa é a pergunta do aposentado Cristiano Santos, que nasceu em Minas Gerais e mora em Curitiba (PR) há mais de 10 anos. E basta andar por qualquer cidade do Brasil para saber que Cristiano não está sozinho. O sonho dele é o mesmo de milhares de pessoas quando o assunto é o que fazer com um prêmio milionário.

A Dupla de Páscoa, primeiro sorteio especial do ano, com prêmio estimado em R$ 25 milhões, será realizado neste sábado (20), em Nova Petrópolis (RS). Cristiano já fez a aposta dele e não vê a hora de conferir o bilhete. “Eu já cheguei perto de ganhar”, disse o aposentado, que não esconde expectativa. “Se eu ganhar este prêmio, eu mando a tristeza ir embora, arrumo a minha vida e a de muita gente que precisa. Tem gente que fica rico e esquece que um dia já foi pobre. Comigo seria diferente”, disse Cristiano entre uma gargalhada e outra. 

Gisele Santos, de São José dos Campos (SP), é motorista e sócia de empresa de transportes com o marido. Ela fica animada só de pensar no prêmio. “Ganhar este prêmio é um sonho. Acho que primeiro eu iria viajar para depois decidir o que fazer. Mas, com certeza, eu iria investir em imóveis para garantir o meu futuro e o da minha família”, planeja ela. “Quem sabe eu não fico milionária?”, questiona Gisele, que sempre joga nas loterias e já fez sua aposta da Dupla de Páscoa.

O estudante de jornalismo João Victor dos Santos, de Brasília, disse que gosta mesmo é de participar dos bolões na empresa onde trabalha como estagiário. “A gente recolhe o dinheiro, faz as apostas e já começa a fazer planos. Essa é a parte mais divertida. Outra vantagem do bolão é que a gente pode fazer uma aposta maior e isso aumenta a chance de ganhar”, disse João Victor.

A publicitária Themis Uehbe, de Recife (PE), disse que com R$ 25 milhões nem dá pra pensar em gastar sozinha. “Com certeza eu daria uma parte para cada pessoa da minha família e investiria uma parcela do prêmio para garantir o futuro”, disse Themis, que também gostaria de fazer uma obra social. “Eu criaria uma ONG para ajudar crianças vítimas de maus tratos e fazer com que elas se sintam incluídas na sociedade. Dinheiro é bom, mas poder ajudar o próximo é melhor ainda”.

To Top