Central de Achados e Perdidos do Metrô recebeu mais de 100 mil objetos em 2019
São Paulo

Central de Achados e Perdidos do Metrô recebeu mais de 100 mil objetos em 2019

O balanço anual da Central de Achados e Perdidos do Metrô (CAP) registrou em 2019 um novo recorde de objetos recolhidos no sistema. De janeiro a dezembro do ano passado, 103.210 itens foram cadastrados pelos funcionários das estações, um acréscimo de 13,12% em relação a 2018 quando foram computados 91.236 objetos catalogados. Desse total, 24.787 objetos (24,01%) foram devolvidos, média um pouco acima da anotada em 2018 (23,30%).

No topo da lista dos objetos mais recebidos nas estações do Metrô em 2019 estão os cartões bancários, escolares e de agremiações. Logo em seguida, o bilhete único da SPTrans é o segundo item mais cadastrado como objeto perdido. Documentos de RG e CNH também ocupam lugar de destaque, na terceira posição. Na sequência do ranking encontramos carteiras, bilhetes BOM, dinheiro, chaves, blusas, casacos e jaquetas, celulares e óculos de grau.

As estações Palmeiras/Barra Funda, Jabaquara, Sé, Corinthians/Itaquera, República, Tucuruvi, São Bento, Trianon-Masp e Santana foram as que anotaram o maior número de registros de objetos e documentos perdidos no ano passado.

Armazenamento e destino

Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1, 2, 3 e 15, operadas pelo Metrô, e da Linha 4-Amarela, que é operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de São Paulo.

Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores. Livros em bom estado de conservação vão para o acervo do #achadosnaleitura, programa que permite o acesso dos passageiros aos exemplares recebidos na Central de Achados e Perdidos e que não foram procurados há mais de 60 dias. Após triagem tudo aquilo que é perecível ou não pode ter nenhum encaminhamento é descartado.

Para evitar a perda de objetos e documentos, o Metrô recomenda que os passageiros fiquem atentos aos itens que estão sendo transportados e observem seus pertences antes do desembarque. Se possível, é recomendável colocar algum tipo de identificação nos objetos, o que facilitará a localização do proprietário e a devolução pela Central de Achados e Perdidos.

Devolução

As consultas de objetos identificados e documentos podem ser feitas pessoalmente, na Central de Achados e Perdidos (CAP), na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7 às 20h, pela Central de Informações do Metrô, pelo telefone 0800-770 7722, todos os dias, das 5h às 0h, ou ainda pelo site do Metrô (www.metro.sp.gov.br)

Já a consulta de objetos não identificados é realizada apenas presencialmente na Central de Achados e Perdidos, na estação Sé. Objetos identificados só serão devolvidos ao proprietário mediante a apresentação de documento de identificação. Parentes em primeiro grau também podem fazer a retirada após comprovarem o parentesco. Já terceiros poderão resgatar o item para devolução desde que o dono envie carta constando sua identificação e a da pessoa autorizada a fazer a retirada.

Quando se tratar de resgate de objeto não identificado, a identificação é feita por meio das características físicas do objeto fornecidas pelo passageiro, além do local da estação, dia e horário, etc da perda. Em caso de telefones celulares, tablets e notebooks é exigido o desbloqueio do aparelho ou identificação do conteúdo como fotos, agenda de contatos ou ainda a nota fiscal do aparelho.

O post Central de Achados e Perdidos do Metrô recebeu mais de 100 mil objetos em 2019 apareceu primeiro em Governo do Estado de São Paulo.

To Top