Eleitores trans podem ser excluídos das eleições de 2020 nos EUA, diz relatório
Internacional

Eleitores trans podem ser excluídos das eleições de 2020 nos EUA, diz relatório

Por Matthew Lavietes

NOVA YORK (Thomson Reuters Foundation) – Centenas de milhares de norte-americanos transgêneros podem não conseguir votar nas eleições deste ano porque seu nome ou aparência não coincidem com o cartão de identificação, mostrou uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, uma tendência que os especialistas dizem que poderia afetar a participação democrata.

Cerca de 378.000 eleitores norte-americanos elegíveis que são trans não têm identificação como uma carteira de motorista que retrate sua aparência ou identidade de gênero, segundo relatório do Instituto Williams na Faculdade de Direito da UCLA, um instituto de pesquisa de políticas públicas.

Nos Estados Unidos, 35 dos 50 Estados exigem que os eleitores mostrem identificação e, das pessoas trans sem identificação, 260.000 vivem em um dos 35 Estados, de acordo com a pesquisa.

Os apoiadores das leis de identificação de eleitores dizem que elas visam combater a fraude.

Os defensores dos direitos dos eleitores afirmam que as restrições afetam desproporcionalmente os eleitores pobres e minoritários.

Nas eleições de novembro de 2020, os democratas tentarão desbancar o presidente dos EUA, Donald Trump, candidato republicano que busca um segundo mandato na Casa Branca.

No dia da eleição, funcionários decidem se o eleitor na frente deles é a pessoa que está na lista de eleitores, disse a co-autora do relatório Jody Herman, pesquisadora da Williams.

“Especialmente nos Estados que exigem que um documento de identidade seja mostrado, isso pode resultar na exclusão de alguns eleitores transgêneros”, afirmou ela.

To Top