Revisões da vida toda no INSS estão sendo julgadas
Benefícios

Revisões da vida toda no INSS estão sendo julgadas

INSS Previdência Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo Consignado

Revisões da vida toda no INSS estão sendo julgadas. O advogado João Badari afirma que a revisão da vida toda costuma dar atrasados e diferenças mensais menores no benefício. “Atrasados muito altos, de R$ 200 mil, por exemplo, são raros para esse tipo de revisão”, diz. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

Segundo o especialista, isso ocorre porque o mais comum é o trabalhador começar a carreira ganhando pouco e depois aumentar sua renda, e não o contrário. “É preciso considerar ainda que a revisão só pode ser pedida em até dez anos da primeira aposentadoria.”

Justiça suspende CNH por atraso no pagamento de pensão

Aposentados começam a ganhar revisão da vida inteira na Justiça

A recente decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) autorizando o recálculo da aposentadoria ou pensão com todas as contribuições pagas antes da concessão já está sendo aplicada nos tribunais dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Nessa revisão, o aposentado inclui no cálculo do benefício as contribuições antigas, pagas em outras moedas.

Em São Paulo, uma aposentada, representada pelo escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, vai aumentar a sua renda de R$ 1.039 para R$ 4.253,75 com a chamada revisão da vida toda. Além da diferença mensal de R$ 3.214,75, ela receberá R$ 203 mil de atrasados.

IR: Dedução de empregado doméstico é extinta este ano

O TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) entendeu que a segurada preencheu os requisitos para a revisão de sua aposentadoria por idade, com a inclusão de contribuições feitas antes de julho de 1994.

A trabalhadora se aposentou aos 60 anos de idade, em outubro de 2014, e conseguiu, por meio da ação judicial, incluir as contribuições feitas desde 1976.

No Rio de Janeiro, decisão favorável em primeira instância aumentou o benefício de R$ 954 para R$ 4.798,93 (os valores ainda serão atualizados). Outros dois casos de primeira instância voltaram a andar no estado após a decisão do STJ. Ainda cabem recursos.

INSS deixa mais difícil a Revisão da vida toda na justiça

To Top