Crimes

Funcionário de hospital é morto e decapitado em ataque movido por ciúmes

Funcionário morto hospital
Reprodução

Um crime brutal chocou os funcionários e pacientes do Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza, na manhã desta terça-feira (23). Um dos funcionários do hospital foi morto a tiros e posteriormente decapitado dentro do refeitório da unidade hospitalar. O incidente deixou ainda outra pessoa ferida, intensificando o clima de terror no local.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública do Ceará, o suspeito, um ex-funcionário do hospital demitido há mais de um ano, invadiu o local usando seu acesso de reconhecimento facial ainda ativo. O secretário Samuel Elânio atribuiu o crime a um ataque de ciúmes, indicando que o suspeito tinha comportamentos pregressos que apontavam para um possível ato violento.

O crime gerou uma onda de pânico no hospital, referência no tratamento de traumas de alta complexidade. Testemunhas relataram vários disparos e uma subsequente correria. Além da vítima fatal, identificada apenas como um colaborador da copa, outra pessoa foi baleada e está em tratamento intensivo.

O incidente levantou questões críticas sobre a segurança nas instalações hospitalares. Apesar da presença de vigilância interna e da Guarda Municipal, o ataque ocorreu sem impedimentos, levando a críticas por parte do prefeito José Sarto, que condenou a suposta inação do governo estadual em combater a violência e assegurar a segurança pública.

O governador do Ceará, Elmano de Freitas, expressou sua consternação com o acontecimento e enfatizou a urgência em investigar e capturar o responsável. Segundo o governador, a prioridade agora é esclarecer os detalhes do crime e garantir a justiça para as vítimas e suas famílias.

Em resposta ao trágico evento, diversas secretarias municipais, incluindo Segurança Cidadã, Educação, Saúde e Direitos Humanos, foram mobilizadas para prestar apoio aos familiares das vítimas e aos trabalhadores do hospital. O prefeito reiterou seu compromisso de manter a continuidade dos serviços públicos, apesar dos desafios de segurança enfrentados.

To Top