INSS registra alta procura pelo sistema Drive thru implementado

cpf receita federal documentos
cpf receita federal

INSS registra alta procura pelo sistema Drive thru implementado. Os segurados que deram entrada em algum requerimento no INSS, como aposentadoria ou pensão por morte, por exemplo, e o pedido caiu em exigência não precisam esperar a reabertura das agências para apresentar os documentos. Segundo o INSS, 861 mil processos foram analisados e estão com pendências em todo país. Portanto, fiquem ligados! Mas como apresentar os documentos se os postos estão fechados por conta da pandemia de coronavírus? O DIA responde: pelas caixinhas drive thru, instaladas em 52 postos de atendimento no Estado do Rio de Janeiro, ou pelo portal Meu INSS. E, segundo dados do INSS, o sistema tem dado certo: de 17 de agosto ao dia 3 de setembro 5.420 agendamentos para entrega de envelopes com a documentação foram feitos nas seis gerências executivas do estado.

“Minha percepção sobre a exigência expressa é extremamente positiva, principalmente porque estamos atendendo a população com dificuldade de inclusão digital, que é quem estava sofrendo mais para entregar documentos que caíram em exigência”, comemora Caio Figueiredo, gestor da Gerência Centro do INSS.

Para dar conta da demanda, Caio conta que montou uma central de digitalização em Copacabana onde os envelopes da Rio Centro vão pra lá e os servidores agem de forma centralizada para agilizar o cumprimento da exigência.

Pelo portal
Para verificar o andamento do requerimento basta acessar o aplicativo Meu INSS ou o site, selecionar “agendamentos/solicitações”, localizar o processo, clicar no desenho de lupa para detalhar o requerimento e, em seguida, na opção “cumprir exigência”.

Caso precise incluir documentos digitalizados ou fotografados, clique em “anexar arquivo”. Cada documento pode ter, no máximo, 5 MB. Para enviar, basta marcar “anexar” e escolher o arquivo a ser enviado. Se for preciso incluir mais documentos, é só repetir o procedimento anterior. Assim que anexar todos os documentos necessários é preciso clicar em “confirmar”. De acordo com orientações do instituto, se a documentação estiver ok é só clicar em “enviar”.

No link (https://www.inss.gov.br/e-possivel-cumprir-exigencias-pelo-meu-inss/) é possível ver um vídeo explicativo sobre cumprimento de exigência.

O instituto tem um prazo para responder aos requerimentos: “A Lei 9.784/99 estabelece os prazos. E, nela está escrito que ele pode ser estendido ao dobro. Ou seja, o INSS tem 45 dias para avaliar o requerimento, mas o prazo máximo pode chegar a 90 dias”, informa Guilherme Portanova, advogado da Federação das Associações de Aposentados do Estado do Rio (Faaperj).
Confira as localidades que têm as caixinhas 
O sistema de cumprimento de exigência expresso, ou drive thru, está em funcionamento em 52 postos do INSS em todo estado desde 17 de agosto. Os segurados que tiverem alguma pendência precisam ligar para a central 135 ou entrar no site Meu INSS com número do protocolo do benefício em análise, nome e CPF e fazer um agendamento prévio para depositar o envelope na caixa.

Na capital têm sistema drive thru as Agências da Previdência Social (APS) de Campo Grande (Rua Engenheiro Trindade 429), Irajá (Av. Brasil 17.673), Maracanã (Rua São Francisco Xavier 324), Cidade Nova (Av. Presidente Vargas 1.997), Barra (Av. Armando Lombardi 385), Copacabana (Av. Nossa Senhora de Copacabana 1.049).

Na Baixada Fluminense algumas Agências da Previdênca Social (APS) têm a caixinha, entre elas Belford Roxo (Av. Benjamin Pinto Dias 895), Duque de Caxias tem três postos (Av. Nilo Peçanha 782, Centro; R. Jornalista Moacir Padilha s/nº, Jardim Primavera; e Rua Marechal Deodoro 1.119, Bairro 25 de Agosto), Itaguaí (Rua Dr. Monteiro Azevedo 34), Japeri (Estrada Ary Schiavo 993), Magé (Av. Simão da Mota 785), Nova Iguaçu (R. Visconde do Uruguai 531) e Queimados (Estrada Carlos Sampaio 7).
A lista completa das unidades que têm as caixas pode ser conferida em https://www.inss.gov.br/inss-divulga-orientacoes-para-entrega-de-documentos/. Fonte O Dia