Lançado pelo Governo campanha para evitar em idosos Golpes
Brasil

Lançado pelo Governo campanha para evitar em idosos Golpes

Programa da Prefeitura de SP para Wi-Fi Livre tem conexão lenta

Lançado pelo Governo campanha para evitar em idosos Golpes. O governo também assinou portaria que definirá os critérios para a destinação de R$ 160 milhões às Instituições de Longa Permanência para Idosos.

O Governo Federal lançou uma campanha de prevenção e combate à violência financeira e patrimonial contra a pessoa idosa. A iniciativa vai informar e conscientizar essa parcela da população sobre as tentativas de golpes financeiros.

O alerta para os idosos vem no momento em que cresce a prática desses golpes contra eles. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), houve um aumento em torno de 60% e 70% os golpes financeiros contra pessoas idosas durante o período de crise do novo coronavírus. A prática é facilitada pelo uso mais intenso dos meios digitais em razão do isolamento social provocado pela Covid-19.

“Os criminosos começaram a se aproveitar desse momento em que os idosos tinham mais necessidade de acessar os canais digitais. Então, eles passaram a intensificar os golpes financeiros fazendo manipulações e persuasão junto aos idosos para que fornecessem seus dados bancários, seus dados confidenciais”, disse o presidente da federação, Isaac Sidney, em cerimônia no Palácio do Planalto.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, destacou a importância da ação. “Logo no início da pandemia, sabíamos que isso ia acontecer com os idosos. O isolamento social, infelizmente, está deixando um saldo absurdo para o Brasil. E os idosos seriam vítimas nesse momento da violência patrimonial”, disse a ministra. “Nesse período, priorizamos os idosos”, acrescentou.

A campanha é uma parceria entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o Banco Central, e a Febraban. Um vídeo da campanha nacional de prevenção e conscientização será veiculado nos meios de comunicação e redes sociais reforçando orientações. Entre elas:

  • O banco não liga para o cliente pedindo senha e número do cartão.
  • A instituição financeira não manda funcionário a casa do cliente para pegar o cartão.
  • O banco não liga pedindo para que seja feita uma transferência ou qualquer tipo de pagamento.
  • Ao receber uma ligação dizendo que o cartão foi clonado, o cliente deve desligar, pegar o número de telefone oficial da instituição que está no cartão e ligar de outro telefone para tirar a limpo a história. Se receber uma mensagem no telefone com um link, não acesse.

Um golpe que chegou a ter aumento de 65% durante o período de isolamento social foi o do falso motoboy, segundo a Febraban. Nesse caso, um criminoso liga para a casa do cliente se passando por um funcionário da instituição financeira, informa que o cartão bancário foi clonado e diz que vai enviar um motoboy para buscá-lo.

O ministério também vem adotando medida para coibir a violência patrimonial contra os idosos. “Percebemos que não eram só as fraudes bancárias, estava acontecendo a transferência de bens e imóveis dos nossos idosos. No cartório, parentes bonzinhos estavam buscando procurações de amplos poderes”, relatou a ministro Damares Alves.

Segundo ela, com as procurações, começaram a crescer, por exemplo, a venda de imóveis em nome de idosos. O ministério procurou o Conselho Nacional de Justiça que editou uma resolução determinando medidas de alerta sobre a prática.

“A violência conta o idoso no Brasil vai ser enfrentada com muita coragem”, afirmou a ministra.

Durante a cerimônia, também foi formalizado o protocolo de intenções entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), para oferecer educação financeira a gestores de instituições que cuidam de idosos.

Recursos para instituições de acolhimento de idosos

A ministra Damares Alves ainda assinou portaria que define os critérios para a destinação de R$ 160 milhões às Instituições de Longa Permanência para Idosos. O recurso vai viabilizar ações para minimizar os efeitos da Covid-19.

Plano de contingência



O Governo Federal já destinou quase R$ 4 bilhões em apoio às pessoas idosas. A ação inclui dois eixos, o de saúde e assistência social, e compõe uma nova etapa do Plano de Contingência para Pessoas Vulneráveis durante a crise do novo coronavírus.

Na área de saúde, o recurso foi para a compra de 75 milhões de doses de vacina e na divulgação de orientações de higiene e cuidado para gestores de instituições que atendem idosos.

Na assistência social foram capacitados 342,6 mil trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (Suas), garantido o Benefício de Prestação Continuada (BPC) a 155,2 mil idosos que não se inscreveram no Cadastro Único no prazo estabelecido e o repasse de R$ 146 milhões para que estados e municípios façam a gestão e manutenção de programas, projetos e serviços.

To Top