Começou a ser paga nesta quinta-feira a nova parcela do auxílio emergencial

dinheiro notas
dinheiro notas

Começou a ser paga nesta quinta-feira a nova parcela do auxílio emergencial. A Caixa Econômica Federal começa a pagar hoje a primeira parcela da nova leva do auxílio emergencial para os trabalhadores e desempregados afetados pela pandemia do coronavírus (covid-19). Definidas pelo governo federal em Medida Provisória, as parcelas de agora em diante serão de R$ 300 e R$ 600 para mães chefes de família. Os primeiros beneficiários são as pessoas cadastradas no Bolsa Família. O calendário de pagamento segue conforme divulgado no início do ano.

Mais de 12,6 milhões de famílias estão aptas a receber o auxílio no país. A soma total será de mais de R$ 4,3 bilhões. Em agosto, no Estado do Rio, 940 mil famílias tiveram o benefício do programa federal. Ainda não foi definido o calendário para os demais trabalhadores.

Como ocorreu nas parcelas anteriores, os primeiros a ter acesso ao pagamento são os beneficiários do programa federal com Número de Identificação Social (NIS) de final 1. Amanhã o dinheiro vai estar na conta de castrados final 2. 

Na próxima segunda-feira será a vez dos beneficiários com NIS com final 3; terça-feira com final 4 e, assim, sucessivamente até chegar ao final 0 no dia 30 deste mês. O calendário de pagamento é feito de segunda a sexta-feira. Vale ressaltar que os cadastrados no Bolsa Família não recebem os dois benefícios, apenas o que for de maior valor cairá na conta. 

Em relação ao pagamento dos demais beneficiários do auxílio, inscritos no CadÚnico ou no site da Caixa Econômica, o banco e nem o Ministério da Cidadania ainda não divulgaram quando será feito o depósito. 

No início deste mês, o governo federal editou MP que prorrogou o auxílio pago aos desempregados e trabalhadores informais durante a pandemia. Porém, o valor caiu pela metade e as regras ficaram mais rígidas para quem vai ter direito ao benefício.

Serão quatro parcelas do ‘trezentão’ da renda básica até dezembro deste ano. Assim, quem começou a receber o auxílio em abril, por exemplo, terá direito às quatro parcelas, mas nem todos vão terão esses valores. Quem passou a receber a partir de julho, no entanto, terá direito a cinco parcelas de R$ 600 e a mais uma parcela do novo benefício de R$300, que será paga no mês de dezembro. 

Nem todos terão direito

Com a MP do novo valor de R$ 300 e as regras mais rígidas, o benefício não vai chegar para todo mundo que recebeu na primeira roda do auxílio emergencial. Além das quatro parcelas que não serão pagas para todos os trabalhadores, o governo federal também fez cortes na lista de pessoas com direito a receber. 

O Ministério da Cidadania informou que a MP tem como pilares a proteção social e econômica aos mais vulneráveis e o compromisso com a responsabilidade fiscal. O texto legal foi construído com aperfeiçoamentos sugeridos pela Controladoria-Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). 

Assim, a pasta reafirmou o compromisso em direcionar os recursos a quem realmente mais precisa deles. É uma tarefa complexa, que envolve vários órgãos, mas que tem sido executada com todo o rigor determinado em lei e reforçado pelo presidente Jair Bolsonaro. Tanto é assim que, o índice de inconformidade (suspeitas de fraudes) do auxílio, que é de apenas 0,44%, segundo análise da CGU.   Fonte O Dia