Chefe da ONU pede planos nacionais para financiar esforço global por vacina contra Covid-19

.

Por Michelle Nichols e Stephanie Nebehay

NOVA YORK/GENEBRA (Reuters) – O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse nesta quarta-feira que é hora de os países começarem a gastar dinheiro de seus planos de reação e recuperação da Covid-19 para ajudar a financiar o plano global de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Até agora, o programa Acelerador de Acesso a Ferramentas contra a Covid-19 (ACT), e seu esquema Covax, recebeu 3 bilhões de dólares, mas precisa de mais 35 bilhões. A iniciativa pretende entregar dois bilhões de doses de vacinas contra coronavírus até o final do ano que vem, 245 milhões de tratamentos e 500 milhões de exames.

“O Acelerador ACT proporciona a única maneira segura e certa de reativar a economia global o mais rápido possível. Um esforço nacional de vacinas em um punhado de países não destrancará as portas da economia global e restaurará os meios de subsistência”, disse Guterres em um evento virtual de alto nível da ONU.

O secretário das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab –coanfitrião do encontro, ao lado de Guterres, da OMS e da África do Sul– exortou outros países a se unirem ao esforço global, dizendo que o Acelerador ACT é a melhor esperança de assumir o controle da pandemia.

O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que 167 países se filiaram ao Covax, o que representa 70% da população mundial, acrescentando: “E a lista está aumentando todos os dias”. Ele disse haver a confirmação de que um milhão de pessoas perderam a vida para a Covid-19, mas que “o número real certamente é mais alto”.

Guterres disse que o programa precisa de uma injeção imediata de 15 bilhões de dólares para “não perder a janela de oportunidade” para a compra e a produção antecipadas, compor estoques paralelamente ao licenciamento, intensificar as pesquisas e ajudar países a se prepararem.

“Não podemos permitir que uma defasagem no acesso amplie ainda mais desigualdades já vastas”, disse o secretário-geral no evento virtual.

“Mas sejamos claros: não chegaremos lá se os doadores simplesmente alocarem recursos somente do orçamento da Assistência Oficial de Desenvolvimento”, disse. “Precisamos um pensamento maior. É hora de os países usarem o financiamento de seus próprios programas de reação e recuperação.”

Guterres pediu que todos os países aprofundem seus esforços consideravelmente nos próximos três meses.

Ele observou que países desenvolvidos gastaram trilhões de dólares nos impactos sócio-econômicos da crise, por isso “certamente podemos investir uma fração pequena disto para deter a disseminação da doença em toda parte”.

(Por Michelle Nichols e Stephanie Ulmer-Nebehay)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8T297-BASEIMAGE