Soja recua em Chicago com pressão da colheita nos EUA

Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja caíram significativamente em Chicago nesta segunda-feira, com a pressão da colheita norte-americana empurrando o mercado para baixo, disseram traders.

O milho seguiu a queda da oleaginosa, enquanto o trigo terminou ligeiramente em alta, devido à preocupação de que a seca nas Grandes Planícies dos EUA pudesse limitar o crescimento do cereal no inverno.

O contrato mais ativo da soja caiu 15,75 centavos de dólar, a 10,3375 dólares por bushel, a maior queda desde 16 de março.

O milho baixou 6 centavos, para 3,89 dólares/bushel e o trigo subiu 0,50 centavo, para 5,9425 dólares o bushel.

A soja caiu do maior patamar em dois anos alcançado na sexta-feira, após o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) cortar as estimativas de oferta norte-americana.

A falta de reportes de exportação deixou espaço para a pressão do mercado se firmar, disseram traders.

O mercado de títulos dos EUA e as agências federais ficaram fechados na segunda-feira devido ao Dia de Colombo.

“O USDA está fechado. Não deve ser uma surpresa, mas o mercado não gostou que não vimos nenhuma venda relâmpago esta manhã”, disse Ted Seifried, vice-presidente do Zaner Group.

O USDA deve relatar um progresso significativo na colheita em seu relatório semanal de progresso da safra, que será divulgado na terça-feira após o fechamento dos mercados de grãos.

O trigo contrariou a tendência de queda do complexo de grãos, uma vez que a seca nos principais países produtores do cereal de inverno ameaçou o plantio na região do Mar Negro e nos Estados Unidos.

(Reportagem adicional de Michael Hogan e Naveen Thukral)