Prazo da UE para avaliar acordo entre Google e Fitbit é estendido até 8 de janeiro

.

Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) – Reguladores antitruste da União Europeia estenderam sua investigação sobre a compra da Fitbit pelo Google, da Alphabet, por 2,1 bilhões de dólares, até 8 de janeiro, de prazo anterior até 23 de dezembro, mostrou o site da Comissão Europeia nesta sexta-feira.

Essas extensões geralmente são concedidas quando as empresas solicitam mais tempo.

No mês passado, o Google se ofereceu para restringir o uso de dados do Fitbit para anúncios do Google, tornar mais fácil para os fabricantes rivais de ‘wearables’ se conectarem à plataforma Android e permitir que terceiros continuem a ter acesso aos dados dos usuários do Fitbit com seu consentimento.

As concessões, destinadas a atender às preocupações com a concorrência da UE, provavelmente ajudarão o mecanismo de busca da internet mais popular do mundo a garantir a luz verde da UE, disseram fontes à Reuters.

Eles, entretanto, não conseguiram apaziguar rivais e clientes.

Um grupo de 19 entidades, incluindo órgãos de defesa do consumidor e defensores da privacidade na UE, nos Estados Unidos e no Brasil, está entre os críticos mais recentes, emitindo uma carta conjunta na quinta-feira para exigir duras concessões do Google.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9F115-BASEIMAGE