Captação da poupança fica menor com redução no Auxílio Emergencial
Auxílio Emergencial

Captação da poupança fica menor com redução no Auxílio Emergencial

dinheiros nota mix vale

Captação da poupança fica menor com redução no Auxílio Emergencial. Os depósitos em caderneta poupança superaram os saques em R$ 7 bilhões em outubro, menor valor desde a chegada do novo coronavírus ao Brasil e quase metade do registrado no mês anterior, de R$ 13,2 bilhões.

Os dados, divulgados nesta sexta-feira (6) pelo Banco Central, mostram que o resultado de outubro, no entanto, continua acima do registrado para o mês nos anos anteriores.

No mesmo mês de 2019, a captação líquida (diferença entre depósitos e saques) foi negativa em R$ 247 milhões -ou seja, os brasileiros tiraram mais recursos da poupança do que depositaram.

No ápice da crise, em abril, a poupança bateu recorde, com R$ 30,4 bilhões. O resultado foi superado em maio, com R$ 37,2 bilhões, o maior da série histórica até agora, iniciada em janeiro de 1995.

Desde o início da crise sanitária, a caderneta tem registrado valores elevados em captação líquida, na comparação com o restante da série.

Benefícios do governo, como saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), e o auxílio emergencial, podem explicar o movimento de alta nos depósitos durante a pandemia, já que são pagos por meio de conta-poupança digitais da Caixa Econômica Federal.

Em setembro, no entanto, a parcela do benefício pago pelo governo aos mais pobres foi reduzida de R$ 600 para R$ 300, o que fez os depósitos diminuírem. Outubro é o primeiro mês cheio depois da mudança.

Além disso, com a flexibilização do isolamento social e a reabertura dos comércios, as pessoas voltaram a consumir e, por isso, sacaram mais recursos da poupança, o que também contribuiu para a queda da captação líquida.

Em outubro, foram depositados R$ 279 bilhões na caderneta, menos do que o registrado no mês anterior, de R$ 294 bilhões (o maior da série). Já os saques somaram R$ 272 bilhões.

Mesmo com a queda na captação líquida, o resultado foi positivo (com maior valor em depósitos que em saques). Por isso, o saldo permaneceu em crescimento e ficou acima de R$ 1 trilhão. O estoque total aplicado na modalidade alcançou a marca pela primeira vez na história em setembro.

A poupança rende a Taxa Referencial (TR), hoje zerada, mais 70% da Selic, que está em 2% ao ano.

A regra prevê que, quando a taxa básica de juros estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 0,50% ao mês, mais TR. Caso a taxa Selic esteja menor ou igual a 8,5% ao ano, o investimento é remunerado a 70% da Selic, acrescida da TR.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) 

To Top