Bandidos estão usando vacinação da Covid-19 como isca para Golpes
Coronavírus

Bandidos estão usando vacinação da Covid-19 como isca para Golpes

Reino Unido vai detalhar alerta sobre vacina da Pfizer após 2 casos de reações adversas

Bandidos estão usando vacinação da Covid-19 como isca para Golpes. Com a chegada das primeiras doses da vacina contra a Covid, surgiram também relatos de tentativas de golpe.

Os lotes da CoronaVac que saíram de São Paulo para todos os estados têm destino certo. Não existem cadastros para agendar a aplicação destas primeiras doses. Mas os golpistas já estão usando as vacinas como iscas.

Mandam mensagens, telefonam fazendo perguntas, e enviam códigos para clonar aplicativos de mensagens das vítimas. Os alertas já começaram a circular nas redes sociais.

“Eu comecei a passar para os meus amigos, para os grupos, para as pessoas se alertarem e não cair em um golpe desse. As pessoas estão tão doidas para tomar a vacina, que ela pode cair realmente em um golpe desse. Porque ela quer tanto, quer tanto, quer tanto, que ela acha que aquilo é verdade mesmo”, conta a dona de casa Maurinéia Pimenta Machado.

O Ministério da Saúde também está preocupado com estas armadilhas e esclarece: não telefona para marcar a vacina de ninguém e nem pede confirmação de códigos enviados por mensagens.

Para as próximas etapas da campanha, algumas secretarias estaduais e municipais de saúde estão criando formas para receber os dados dos grupos prioritários.

O governo de São Paulo criou um site para um pré-cadastro. Ele não será usado para agendar dia nem hora de receber uma dose. As informações apenas ajudam a reduzir o tempo gasto no posto de vacinação para preencher dados pessoais.

Mais de um milhão de pessoas já se inscreveram. A Secretaria de Saúde informou que quem não fizer o cadastro também será vacinado e esclarece que não envia mensagens de texto com links, nem faz ligações telefônicas para solicitar ou validar dados e informações.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro planeja um calendário de vacinação para diferentes grupos, de acordo com critérios como faixa etária, por exemplo. E também dá orientações sobre falsas mensagens.

“Nós alertamos a população, caso receba algum link, alguma mensagem de rede social, que desconsidere isso. A orientação da Secretaria Municipal de Saúde é procurar uma unidade de saúde mais próximo da sua residência no dia certo para o seu grupo prioritário, portando um documento de identificação, o número do CPF e, se possível, levar a sua caderneta de vacinação”, afirma Márcio Garcia, superintendente de Vigilância em Saúde.

To Top