Benefício negado pelo INSS pode ser revertido ao segurado?
Benefícios

Benefício negado pelo INSS pode ser revertido ao segurado?

aposentadoria por idade inss

Benefício negado pelo INSS pode ser revertido ao segurado? Ter um benefício negado pelo INSS é mais comum do que a maioria das pessoas pensam. Independente do motivo alegado, quando uma situação deste tipo acontece é preciso saber o que pode ser feito. Antes de mais nada,  estar informado sobre seus direitos pode te ajudar e reverter um resultado negativo.

Quando o segurado busca no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) receber algum dos benefícios de incapacidade como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, entre outros, é fundamental que seja realizada a perícia médica.

Ela é realizada através de um perito do INSS, que irá emitir um parecer baseado na documentação médica apresentada pelo segurado, além dos outros requisitos necessários. Feita a perícia, os dados avaliados serão usados para caracterizar, ou não, a concessão do benefício.

O que acaba acontecendo é que muitas vezes o benefício é negado após esse procedimento. E quando isso ocorre, o que pode ser feito? Neste caso o segurado pode escolher seguir por três caminhos:

1 – Aceitar o resultado da perícia do INSS e continuar trabalhando

Todos os anos, são concedidos inúmeros benefícios para os segurados e isso acaba gerando um custo alto para a Previdência Social. Por exemplo, as revisões de benefícios por incapacidade que vem acontecendo buscam reduzir os valores gastos realizando a verificação de quem continua tendo direito ao benefício ou não.

Se você teve o seu benefício negado, o primeiro caminho que você poderá escolher é aceitar a decisão do INSS e continuar trabalhando. Porém, é preciso ficar atento, pois, não é aconselhável continuar trabalhando com sua doença e limitações. A situação poderá ser agravada.

2- Recorrer no INSS sobre a decisão da perícia

Após o resultado negativo na perícia médica, o segurado poderá entrar com um recurso no próprio INSS buscando que seja revista essa decisão. O processo será encaminhado à Junta de Recurso do Conselho de Recursos da Previdência Social (CRPS). O segurado precisa entrar com o pedido até 30 dias após a negativa do seu benefício. Aqui, é preciso agendar uma nova data de atendimento através do 135 e levar um formulário preenchido.

Em casos de auxílio-doença ou outros benefícios por incapacidade, o segurado poderá solicitar um Pedido de Reconsideração, que permite a realização de uma outra avaliação médica com o perito do INSS. O serviço também deverá ser solicitado em até 30 dias após a negativa do benefícios.

Ao escolher essa opção, é preciso analisar o tempo em que esse processo se dará, pois devido à grande demanda de pedidos, ele costuma demorar. Outro fator que merece a atenção do segurado é que, quem irá analisar novamente seu caso será o próprio INSS, que já recusou o benefício uma vez.

3- Ingressar com uma ação judicial

Muitas pessoas não sabem que podem ingressar com uma ação judicial.  Então, em muitos casos essa acaba se tornando a alternativa para buscar reverter a alta do INSS.

Em primeiro lugar, a principal diferença entre a ação judicial e o recurso junto ao INSS é a perícia médica. Diferentemente do que ocorre no INSS, a perícia realizada através da Justiça pode durar mais tempo, resultando assim em um exame mais completo.

Ou seja, enquanto o médico do INSS é um perito geral, o médico escolhido em uma ação judicial pode ser um especialista no problema que o segurado alega estar sofrendo. Dessa maneira, se o perito judicial verificar que existe sim a incapacidade alegada pelo segurado, além de garantir o seu benefício ele passará a receber os valores retroativos desde a data em que a perícia foi agendado no INSS.

Portanto, procure um advogado de sua confiança, especializado em Direito Previdenciário e busque seus direitos!

Fonte: Carbonera & Tomazini Advogados | Aposentadoria Especial

To Top