Dívidas bancarias não podem ser descontadas das parcelas do Novo Auxílio
Auxílio Emergencial

Dívidas bancarias não podem ser descontadas das parcelas do Novo Auxílio

Auxilio Emergencial

Dívidas bancarias não podem ser descontadas das parcelas do Novo Auxílio Da mesma forma como aconteceu no ano passado, os beneficiários que estão aptos a receber a nova rodada do auxílio emergencial não podem ter o valor do benefício abatido em caso de dívida com o banco.

De acordo com informações do Ministério da Cidadania, o banco não pode recompor saldos negativos ou saldar dívidas preexistentes do beneficiário. “A regra vale para qualquer tipo de conta bancária em que houver opção de transferência pelo beneficiário”, afirma a pasta.

O número de famílias endividadas tem aumentado por conta da pandemia. Dados divulgados pelo Banco Central em fevereiro mostram que o endividamento das famílias brasileiras bateu novo recorde em novembro de 2020. Segundo o BC, as dívidas bancárias atingiram 51% da renda acumulada das famílias nos 12 meses anteriores.

O pagamento do auxílio será feito pela Caixa Econômica Federal por meio de conta poupança social digital, aberta automaticamente pela CAIXA, de titularidade do trabalhador.

A nova rodada do auxílio, que terá valores de R$ 150 a R$ 375, será paga a apenas uma pessoa por família. Só receberão o benefício aqueles que já foram contemplados com a medida no ano passado. Fonte: Economia Uol

To Top