Sem investimento verde, não nos recuperaremos da pandemia, diz príncipe William
Últimas Notícias

Sem investimento verde, não nos recuperaremos da pandemia, diz príncipe William

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) – Neto da rainha da Inglaterra, o príncipe William participou nesta quinta-feira (8) de um debate do Banco Mundial sobre transição para a economia verde e disse que, sem investir na natureza e no combate às mudanças climáticas, não será possível vencer a pandemia ou acabar com a pobreza no mundo.

“Não podemos nos recuperar de forma sustentável do coronavírus, erradicar a pobreza global, zerar as emissões de carbono ou nos adaptarmos às mudanças climáticas sem investir na natureza. A evidência é clara. A natureza continua a declinar em um ritmo alarmante.”

Em 2019, o príncipe já havia se transformado em entrevistador no Fórum Econômico Mundial, em Davos, fazendo perguntas ao naturalista e apresentador de TV David Attenborough sobre o que ele chamou de passos “hesitantes” dos líderes mundiais para lidar com os desafios do meio ambiente.

O príncipe enviou um recado gravado para o painel virtual desta quinta-feira que contou com a participação de John Kerry, enviado especial para o clima do governo Joe Biden, que tem capitaneado as principais discussões sobre o tema durante os encontros de primavera do FMI (Fundo Monetário Internacional) e do Banco Mundial.

As instituições têm aproveitado os índices de retomada global, que apontam para uma saída mais rápida da crise, para levar o meio ambiente ao centro dos debates, soterrados pela ameaça de recessão nas reuniões do ano passado.

Kerry tem discutido formas de acelerar a transição econômica, financiar projetos verdes e a necessidade de cooperação, inclusive entre potências antagônicas, como EUA e China, para frear o aquecimento global.

Nesta quinta, o americano disse que, durante a retomada econômica nos EUA, duas das três carreiras que terão crescimento acima de 50% no próximo ano são ligadas às atividades verdes.

“Três categorias de empregos crescerão mais de 50% no próximo ano nos EUA. A primeira, que deve crescer 62%, é técnico em turbinas eólicas. A segunda é técnico em enfermagem, e sabemos porque isso está crescendo”, completou, em referência à pandemia. “E a terceira é instalador de painel solar. O mercado está se mexendo.”

Kerry diz que o mundo está perdendo tempo -“e quem fala isso é a ciência, não são políticos ou ideológicos”- para acelerar a transição econômica e frear a emissão de poluentes, inclusive com a criação de novas oportunidades no sistema financeiro para investimento verde.

“Se fizermos o que prometemos no Acordo de Paris, a temperatura do mundo ainda vai subir 3,7 graus celsius ou mais. […] É catastrófico”, disse o americano. “Glasgow [cidade na Escócia que vai sediar, em novembro, a COP26 (Conferência da ONU para o Clima] é nossa última oportunidade de tratar isso seriamente, como ameaça, e com metas mais ambiciosas.”

O americano havia dito na quarta-feira, sem dar detalhes, que a Casa Branca deve passar a exigir que empresas e bancos nos EUA divulguem os riscos ambientais de seus negócios, em um esforço para reorientar investimentos em direção a uma nova fase da economia, que ele chamou de mais transformadora desde a Revolução Industrial.

“Faremos de Glasgow o próximo passo para dividir não o que estamos dispostos a fazer, mas o que realmente precisamos fazer.”

Em seu vídeo, o príncipe William fez eco à necessidade de reorientar investimentos de olho nas mudanças climáticas e disse que a COP26 será reflexo para as próximas gerações. “As decisões dos líderes em Glasgow irão ecoar através das gerações nos próximos anos. Então, vamos fazer valer a pena.”

“Todos vocês aqui, o Banco Mundial e cada um dos bancos multilaterais de desenvolvimento têm papel crucial a desempenhar apoiando uma recuperação ecológica, inclusiva e resiliente para a pandemia. Valorizando a natureza e colocando-a no centro do seu trabalho. E aumentando os investimentos em um futuro em que o mundo natural possa prosperar”, disse o príncipe.

To Top