FGTS da Caixa pode ser usado em 15 situações
Benefícios

FGTS da Caixa pode ser usado em 15 situações

FGTS CAIXA

FGTS da Caixa pode ser usado em 15 situações Para sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) há algumas situações em que o trabalhador precisa estar enquadrado. Caso o cidadão não possua o cartão cidadão ou se o valor do saque for maior que R$ 1.500, o atendimento deve ser realizado nas agências da Caixa.

Os casos mais comuns para ter acesso à quantia é o saque-aniversário, que concede ao trabalhador uma parte do seu FGTS, todos os anos, no mês do seu aniversário (como o próprio nome diz), além de quando o trabalhador é demitido sem justa causa.

Correção mensal do valor

Outro detalhe é que o saldo da conta do trabalhador no FGTS é corrigido todo dia 10 de cada mês. Ao requerer o saque, o cidadão pode solicitar se preferir, que o pagamento do FGTS seja efetuado após o crédito de juros e atualização monetária.

Aquisição ou prestações de imóvel

É possível utilizar o FGTS para quitar parte do financiamento imobiliário no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que também financia unidades de até R$ 1,5 milhão, com juros limitados a 12% ao ano.

A partir de agosto, os trabalhadores também poderão usar o FGTS para abater prestações do primeiro imóvel financiado com recursos do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) – que financia imóveis com recursos livres dos bancos. O mutuário terá as opções de usar o valor para reduzir o saldo devedor do imóvel ou abater até 80% da prestação em 12 meses, prorrogáveis ao fim de cada período.

Pedir empréstimo com FGTS

Nesta opção de crédito, o trabalhador pode aderir à antecipação do saque-aniversário com um valor mínimo de R$ 2 mil. Ele poderá antecipar o equivalente a até três anos do saque-aniversário e utilizar o FGTS como garantia para a contratação do crédito.

FGTS de herança

Caso um parente do cidadão tenha falecido, ele pode receber integralmente o FGTS e PIS/Pasep de herança.

Veja abaixo as situações em que o trabalhador pode utilizar o FGTS:

1- Demissão sem justa causa, pelo empregador.

2- Término do contrato por prazo determinado.

3- Rescisão por falência, falecimento do empregador individual, empregador doméstico ou nulidade do contrato.

4- Rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior.

5- Aposentadoria.

6- Necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural causado por chuvas ou inundações que tenham atingido a área de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do Governo Federal.

7- Suspensão do Trabalho Avulso.

8-Falecimento do trabalhador.

9- Idade igual ou superior a 70 anos.

10- Portador de HIV – SIDA/AIDS (trabalhador ou dependente).

11- Neoplasia maligna (trabalhador ou dependente).

12- Estágio terminal em decorrência de doença grave (trabalhador ou dependente).

13- Permanência do trabalhador titular da conta vinculada por três anos ininterruptos fora do regime do FGTS, com afastamento a partir de 14/07/1990.

14- Permanência da conta vinculada por três anos ininterruptos sem crédito de depósitos, cujo afastamento do trabalhador tenha ocorrido até 13/07/1990, inclusive.

15- Aquisição de casa própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional. Fonte IstoÉ

To Top