Lenda soviética do xadrez processa Netflix por fala "sexista" de minissérie
Business

Lenda soviética do xadrez processa Netflix por fala “sexista” de minissérie

Lenda soviética do xadrez processa Netflix por fala "sexista" de minissérie

TBILISI (Reuters) – Nona Gaprindashvili, a primeira mulher do mundo a se tornar mestre de xadrez, iniciou um processo de difamação de 5 milhões de dólares contra a Netflix por causa de uma fala da minissérie “O Gambito da Rainha” que seus advogados disseram ser falsa e sexista.

A ícone soviética de xadrez de 80 anos, uma heroína em sua nativa República da Geórgia, foi descrita no último episódio como uma campeã que “nunca enfrentou homens”.

O processo aberto em nome de Gaprindashvili em um tribunal federal da cidade norte-americana de Los Angeles disse que a referência a ela “diminui suas conquistas diante de uma audiência de muitos milhões”.

Os documentos legais vistos pela Reuters dizem que a pentacampeã mundial foi “a primeira mulher da história a atingir a condição de grande mestre internacional de xadrez entre homens”.

A Netflix não respondeu de imediato a um pedido de comentário, mas segundo citações da mídia norte-americana se “defenderá vigorosamente no caso”.

“Acreditamos que esta queixa não tem mérito”, disse um porta-voz da gigante do streaming do Estados Unidos, segundo uma citação.

“O Gambito da Rainha”, baseada em um romance de 1983 de Walter Tevis, conta a história da jovem órfã Beth Harmon, que se torna a melhor enxadrista do mundo no período da Guerra Fria.

Ela é descrita pela Netflix como “determinada a conquistar as fronteiras tradicionais estabelecidas no mundo do xadrez competitivo dominado por homens”.

(Por David Chkhikvishvili; redação e reportagem adicional de Maria Vasilyeva)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8G0SH-BASEIMAGE

To Top