Brasileiros poderão ter novos empréstimos através do app do Caixa Tem
Auxílio Emergencial

Brasileiros poderão ter novos empréstimos através do app do Caixa Tem

Auxílio emergencial

Brasileiros poderão ter novos empréstimos através do app do Caixa Tem A Caixa Econômica Federal vai anunciar, em setembro, as regras para o programa de microcrédito que será oferecido aos usuários do aplicativo Caixa Tem. De acordo com informações do presidente do banco, Pedro Guimarães, a proposta é oferecer empréstimos aos correntistas da instituição financeira que têm contas poupanças sociais digitais.

valor do crédito pode variar entre R$ 500 e R$ 3 mil, pré-aprovado e com prazo de 18 a 24 meses para pagar. A contratação será feita pelo próprio aplicativo. As informações foram divulgadas em entrevista do executivo ao programa “Sem censura”, da TV Brasil.

Guimarães destacou que a ideia é oferecer o microcrédito para 30 milhões de pessoas. O programa prevê que as pessoas que contratarem o empréstimo saberão o valor das parcelas que vão pagar.

Hoje, o Caixa Tem é utilizado para o recebimento de pagamento de programas sociais do governo federal, como o auxílio emergencial, o saque emergencial do FGTS, o abono salarial do PIS e o Bolsa Família.

“A maioria das pessoas não consegue fazer o cálculo de juros compostos. O importante é quanto eu vou pagar por mês e se isso cabe no orçamento. Então, esse programa nós já vamos lançar quando for realizar o Bolsa Família. Sobre o novo Bolsa Família, a Caixa Econômica e eu estamos envolvidos na parte operacional, quem realmente está fazendo essa discussão é o Ministério da Cidadania com o Ministério da Economia”, destacou.

A Caixa informou que ainda divulgará a data em que o programa será oferecido efetivamente. Segundo o presidente do banco, a expectativa é alinhar a oferta de recursos com o fim do pagamento das parcelas do auxílio emergencial.

Ele mencionou ainda a reformulação do programa social Bolsa Família e a perspectiva de que este grupo não poderia ser contemplado com a oferta deste microcrédito, pela impossibilidade de pagamento do empréstimo, embora o governo estude outras formas de concessão de crédito para este público, como um consignado:

“A gente vai conjugar o final do auxílio emergencial com o começo do programa de microcrédito para 30 milhões de pessoas. Nós vamos conjugar com dois grupos: o grupo que vai receber o Bolsa Família, este grupo não tem condição de pagar, então é uma transferência de renda, e o grupo que tem condição de pagar”, explicou o presidente. Fonte: Extra Globo

To Top