Bolsas da Europa fecham em alta, com análise positiva sobre impacto da Ômicron
Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, com análise positiva sobre impacto da Ômicron

portalmixvalegoogle

Após duas sessões de queda, as bolsas da Europa voltaram a fechar em alta nesta segunda-feira. No final do pregão, a aceleração das bolsas de Nova York deu novo impulso aos índices europeus. Durante o dia, predominou nos mercados uma maior positividade com relação aos impactos da variante Ômicron na economia.

O analista da CMC Markets, Michael Hewson, destaca que “as preocupações com a Ômicron continuam a diminuir com novas evidências de sintomas leves e, até agora, nenhuma morte relatada por causa da cepa”.

Nesse cenário, o índice Stoxx 600, que mede o desempenho de 600 empresas por todo o continente, subiu 1,28%, para 468,71 pontos.

Em Frankfurt, o DAX fechou em alta de 1,39%, para 15.380,79 pontos, e o CAC 40 subiu 1,48%, para 6.865,78 pontos, em Paris.

A valorização do petróleo ofereceu suporte aos papéis de energia, e ações da BP e Shell subiam 1,82% e 1,66%, respectivamente. O movimento deu força ao índice londrino FTSE 100, que fechou em alta de 1,54%, aos 7.232,28 pontos.

Susan Joho, do Julius Baer, destaca, entretanto, que há sinais iniciais de deterioração para o setor de serviços na Europa, à medida que a próxima onda de covid-19 desencadeou novas restrições.

“A Ômicron continua sendo uma ameaça ainda não visível nos dados. Na Europa surgiram os primeiros sinais de piora da situação para o setor de serviços devido a um novo surto de covid-19”, afirma o analista.

Na Alemanha, as encomendas à indústria da Alemanha tiveram queda de 6,9% em outubro na comparação com setembro deste ano. O dado contrariou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 0,5%.

Em Milão, o FTSE MIB subiu 2,16%, a 26.498,07 pontos. Nas praças ibéricas, o PSI 20 avançou 1,72%, a 5.510,33 pontos, e o Ibex 35 subiu 2,40%, a 8.439,70 pontos.

Hewson destaca que os maiores beneficiários do dia estão as ações de viagens e lazer, com o proprietário da British Airways, IAG, ignorando as regras mais rígidas sobre testes e quarentena, em relatos de que a UE poderia considerar flexibilizar as restrições de viagens para a África do Sul na próxima semana.

O vice-presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) para política monetária, Ben Broadbent, disse nesta segunda-feira que o aperto do mercado de trabalho tende a ser mais persistente por causa da inflação.

To Top