Economia

Análises sobre inflação se inclinam, um pouco, na direção de entendimento do Fed

Análises sobre inflação se inclinam, um pouco, na direção de entendimento do Fed

(Reuters) – Uma semana que incluiu um conjunto de números de inflação ainda salgados pode também ter marcado uma virada nas visões de mercado acerca do banco central dos Estados Unidos, depois de expectativas de inflação caírem, rendimentos dos títulos se moderarem e até consumidores pararem de elevar suas perspectivas de aumentos de preços.

Enquanto isso, uma pesquisa com analistas profissionais pareceu endossar a esperança do Federal Reserve de controlar o avanço dos preços sem destruir milhões de empregos no processo.

As estimativas para a inflação anual para daqui a um ano na pesquisa trimestral do Fed da Filadélfia, publicada nesta sexta-feira, caíram para 3% ou menos, dependendo da medida de preço específica. Enquanto isso, o consenso sobre a taxa de desemprego nos próximos dois anos subiu dos atuais 3,6% para apenas 3,8%, resultado que, se acontecer, deixaria as autoridades do Fed entusiasmadas.

As leituras anuais de inflação ao consumidor e produtor divulgadas nesta semana recuaram pela primeira vez em meses, o que oferece alguma esperança de que as altas dos preços ao consumidor, que chegaram a 8,5% ano a ano em março, possam ter atingido o pico.

Na semana, o rendimento do Treasury de dez anos perdia cerca de 20 pontos-base, maior queda desde o início de março, e a expectativa de inflação de dez anos refletida nos Tips (títulos protegidos da inflação) atingiu o menor patamar desde fevereiro.

De fato, um novo indicador de referência de expectativas de inflação da ICE mostrou que a perspectiva para um ano agora baixou para quase 4,5%, ante 6% em meados de abril.

Cerca de metade do recuo nos yields dos Treasuries parece ter sido impulsionado pelo declínio nas expectativas de inflação, escreveu o chefe de política monetária global da Piper Sandler, Roberto Perli em nota na qual separou esse aspecto de outros fatores que contribuem para as mudanças nos rendimentos dos títulos.

Isso “é uma boa notícia para o Fed”, escreveu Perli. “(Se) continuar (o que é um grande se, é claro) pode até induzir o Fed a ser um pouco menos enérgico em sua campanha de alta –dos juros. No entanto, as expectativas de inflação do mercado ainda estão muito elevadas para o Fed cantar vitória agora.”

Enquanto isso, consumidores parecem acreditar que a pressão sobre os preços não continuará a acelerar.

Dados divulgados nesta sexta-feira em pesquisa da Universidade de Michigan elaborada duas vezes por mês sobre as atitudes do consumidor não mostraram, pelo terceiro mês consecutivo, nenhum movimento ascendente nas perspectivas das famílias para a inflação para um ano, com o prognóstico mantendo-se em 5,4%. A expectativa para cinco anos permaneceu em 3% pelo quarto mês consecutivo.

(Por Howard Schneider e Dan Burns)

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4C0SD-BASEIMAGE

To Top