Benefícios

Saiba como proteger os dados em caso de roubos celular

celular aplicativo
LDprod/Shutterstock.com

Saiba como proteger os dados em caso de roubos celular Os relatos diários de pessoas que tiveram seus celulares furtados ou roubados são motivo de preocupação para cidadãos espalhados por todo o país. Com o aparelho em mãos, os criminosos podem acessar contas bancárias, redes sociais, efetuar transações financeiras e roubar dados pessoais, causando sérios prejuízos à vítima.

Então, o que é possível fazer para proteger o conteúdo do celular em caso de roubo ou furto?

Segundo os especialistas ouvidos pela reportagem, algumas ações são fundamentais para tentar evitar danos maiores do que o inicial, que é a perda do telefone.

“Se seu celular foi furtado, roubado ou você o perdeu, a primeira coisa que deve ser feita é ligar para a sua operadora, informar o que aconteceu e pedir o bloqueio do seu chip. Você também deve passar o IMEI do seu celular e pedir o bloqueio do aparelho”, afirma Raphael Tedesco, gerente de alianças em cibersegurança da NSFOCUS na América Latina.

O IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel, em português) é o número de identificação do seu telefone. Ele é único e pode ser encontrado na caixa original do celular. Também é possível descobrir qual o IMEI do seu aparelho ao acessar as configurações do dispositivo ou ao digitar o código *#06# no teclado do telefone como se estivesse fazendo uma ligação. O número aparecerá na tela.

Para Thiago Bordini, chefe de inteligência cibernética da Axur, empresa de segurança digital, o passo seguinte deve ser trocar sua senha de acesso do ID do Google ou da Apple.

“É necessário trocar as senhas, principalmente, dos e-mails e das contas da Apple, para Iphones, ou do Google, para Android, para evitar que os criminosos realizem alterações de senhas ou de configurações do celular e dos aplicativos instalados no aparelho”, diz Bordini.

Também é possível bloquear ou apagar os dados do celular de forma remota por meio dos sites android.com/find ou icloud.com.

Outra providência importante a ser tomada é entrar em contato com o banco do qual é cliente, informar que teve seu aparelho furtado ou roubado e solicitar imediatamente o bloqueio do seu aplicativo e de seus cartões para evitar que os criminosos efetuem transações ou compras em seu nome.

Bordini indica ainda que as ações para bloqueio do chip, celular e das contas devem ser realizadas o mais rápido possível.

“Essas atitudes precisam ser tomadas o mais rápido que a pessoa puder. Talvez em dez ou quinze minutos. Não é possível demorar muito porque pode ser tarde demais. Além disso, é importante registrar um boletim de ocorrência porque será ele quem vai te resguardar de problemas futuros, de repente uma cobrança indevida, de um bem contratado em seu nome. Com o B.O. você consegue provar que foi furtado, que não foi você quem fez aquilo”, diz o chefe de inteligência cibernética da Axur.

DICAS DE PREVENÇÃO

Os especialistas apontam ainda que existem medidas simples que ajudam a evitar que os criminosos consigam usar os celulares como ferramentas para obter dinheiro ou dados das vítimas.

Tanto Tedesco quando Bordini não aconselham os usuários a deixarem cadastrado o próprio número para receber SMS como fator secundário para autenticação de contas.

“Você pode manter um celular extra que tenha o mesmo sistema operacional do que você usa diariamente. Pode ser aquele aparelho mais antigo, que você não usa mais. Em vez de vendê-lo, deixe-o guardado com um chip apenas para fazer essas autenticações por SMS de contas e-mails, token de criptomoedas. Assim, se o criminoso tentar redefinir alguma senha, a mensagem chegará em outro celular e ele não vai conseguir atingir seu objetivo”, afirma Tedesco.

Bordini afirma que é possível utilizar aplicativos que criam um número de telefone virtual para realizar essa autenticação em dois fatores.

“Você pode usar o número virtual gerado pelos aplicativos apenas para autenticação de contas de e-mail, redes sociais, WhatsApp. Assim, se você tiver o celular roubado, você pode ter acesso a esse aplicativo e evitar que a mensagem de SMS chegue à pessoa que está em posse do seu celular”, diz o especialista.

Há também a opção de ativar o PIN do chip. O PIN é um código que pode bloquear ou desbloquear o chip da operadora. Se a função for ativada em seu celular, será necessário digitar essa senha toda vez que o usuário ligar ou reiniciar o telefone, ou colocar o chip em outro aparelho.

Cada operadora tem um PIN padrão. Na Claro, o código é 3636, enquanto para a Tim é 1010. Já a Vivo utiliza o número 8486 e a OI o 8888. No entanto, ao ativar a função, o usuário pode alterar essa sequência numérica e registrar uma de sua preferência.

OUTRAS DICAS

Atualize o software e os aplicativos do celular com frequência

Utilize senhas complexas que misturem letras maiúsculas, minúsculas, números e símbolos

Não deixe senhas anotadas em aplicativos do aparelho

Evite baixar aplicativos que serão pouco utilizados, mas que dão acesso a informações importantes como contas de investimentos

Não armazene imagens de cartões bancários

Evite a utilização de recursos que completem senhas

To Top