Últimas Notícias

O dólar segue estável frente ao real e investidores ficam em ‘modo de espera’ pelos dados de emprego dos Estados Unidos

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O dólar rondava a estabilidade frente ao real nos primeiros negócios desta sexta-feira (5), com investidores de todo o mundo trabalhando em modo de espera antes de dados de emprego dos Estados Unidos, que podem oferecer pistas sobre a trajetória de aperto monetário do banco central norte-americano, o Federal Reserve.

Às 9h06 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,04%, a R$ 5,2249 na venda.

Na B3, às 9h06 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,21%, a R$ 5,2620.

O otimismo predominou no mercado financeiro doméstico nesta quinta-feira (4), com investidores avaliando a decisão do Banco Central de elevar a taxa Selic a 13,75%. Embora a autoridade monetária tenha deixado a porta aberta para um novo aumento em setembro, existe a expectativa de uma pausa no aperto ao crédito.

O Ibovespa subiu 2,04%, a 105.892 pontos, seu melhor resultado desde 9 de junho.

Setores que dependem de juros mais baixos foram amplamente beneficiados pelo clima favorável ao risco, principalmente as ações de empresas que estão em baixa neste ano.

Gigantes do varejo nacional, Magazine Luiza e Via dispararam 13,99% e 12,73%, respectivamente. A empresa de cupons de descontos Méliuz saltou 15,04%. A aérea Gol subiu 14,81%, e a construtora MRV, 12,73%.

No exterior, os principais mercados não indicaram uma direção específica. Em Nova York, o indicador de referência S&P 500 caiu 0,08% e o índice das companhias de grande valor, o Dow Jones, cedeu 0,26%.

Já o setor de tecnologia e de empresas com maior potencial de crescimento apresentou ganhos, revelou a alta de 0,41% do índice Nasdaq.

Na Europa, a Bolsa de Londres teve ligeira alta de 0,03% no dia em que o Banco da Inglaterra anunciou um aumento de 0,5% da sua taxa básica de juros. Este é o maior aumento da taxa desde 1995.

A medida foi tomada na tentativa de conter uma inflação que pode atingir 13% ao ano em outubro.

To Top