Brasil

Prefeito diz que RJ tem recorde de internações e vive epidemia de dengue

Dengue
Jarun Ontakrai/Shutterstock.com

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, revelaram em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (2) que a cidade vive uma epidemia de dengue, com um aumento alarmante nos casos apenas em janeiro deste ano.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o município registrou 44,2% dos casos de dengue notificados em todo o ano passado apenas no primeiro mês de 2024, totalizando 10.156 ocorrências. Em resposta a essa situação preocupante, um decreto será publicado no Diário Oficial confirmando o estado de epidemia na cidade.

O secretário Municipal de Saúde destacou que houve um recorde de internações por dengue, com 362 casos somente em janeiro. A curva de crescimento dos casos começou mais cedo do que o esperado, aumentando a apreensão das autoridades de saúde.

As regiões mais afetadas são Campo Grande e Guaratiba, com o Grande Méier, Grande Tijuca e Santa Cruz também apresentando números acima da média da cidade. Para lidar com a situação, a Prefeitura anunciou a instalação de dez polos de atendimento de dengue e 150 centros de tratamento e hidratação.

Além disso, haverá leitos específicos em hospitais de referência e unidades de atenção primária para os casos mais graves. A cidade também lançará um Centro de Operações de Emergência e utilizará 16 carros fumacê nas regiões mais afetadas.

No estado do Rio de Janeiro, os números também são alarmantes, com 17.544 casos registrados apenas em janeiro deste ano, um aumento significativo em relação ao mesmo período do ano passado. Diante desse cenário, a Defensoria Pública enviou recomendações aos 92 municípios do estado cobrando medidas mais efetivas de combate à dengue, incluindo o monitoramento de casos e mortes e a criação de centros de hidratação.

To Top