São Paulo

Megaoperação da PF em esquema de fraudes bancárias com prejuízos de R$ 110 mil em São José dos Campos-SP

Megaoperação da PF em esquema de fraudes bancárias com prejuízos de R$ 110 mil em São José dos Campos-SP

Megaoperação da PF em esquema de fraudes bancárias com prejuízos de R$ 110 mil em São José dos Campos-SP Na manhã de hoje, uma força-tarefa da Polícia Federal foi mobilizada para combater uma sofisticada operação de furto eletrônico que afetou a Caixa Econômica Federal. A ação resultou na abertura de investigações em dez estados brasileiros, após a descoberta de um desfalque que ultrapassa R$ 110 mil reais.

Os eventos tiveram início quando uma residente de São José dos Campos, em São Paulo, notou um prejuízo de R$ 13 mil em sua conta bancária. Após notificar o banco, que prontamente ressarciu o montante, a Caixa iniciou uma investigação interna que revelou uma invasão sistêmica. O caso foi imediatamente reportado à Polícia Federal, que identificou mais 20 vítimas desse esquema fraudulento.

Investigações preliminares indicaram que o dinheiro furtado era redistribuído para cerca de 30 contas bancárias diferentes, espalhadas por todo o país. Essas transferências eram realizadas através do pagamento de boletos fictícios, sem a autorização dos titulares das contas.

Para combater esta rede criminosa, foram expedidos sete mandados de busca e apreensão, com operações sendo realizadas em cidades como São Bernardo do Campo, Santo André, Sorocaba e até Florianópolis. A operação contou com o apoio de aproximadamente 40 agentes, principalmente de São José dos Campos, sob a coordenação da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

Durante a operação, a Polícia Federal contou com a colaboração da Coordenação de Repressão a Fraudes Bancárias, da Polícia Civil e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), para rastrear e identificar os envolvidos no esquema. Se condenados, os suspeitos poderão enfrentar até 10 anos de prisão por furto qualificado mediante fraude e associação criminosa.

Até o momento desta publicação, a reportagem aguardava um posicionamento oficial da Caixa Econômica Federal sobre o caso.

To Top