Acesso ao Auxílio Acidente INSS ficará mais difícil para os brasileiros
Benefícios

Acesso ao Auxílio Acidente INSS ficará mais difícil para os brasileiros

INSS Previdência Pente-Fino Revisão Antencipação Salário Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo MEi Consignado

Acesso ao Auxílio Acidente INSS ficará mais difícil para os brasileiros. Das constantes mudanças na área previdenciária, o auxílio-acidente vinha passando incólume se comparado aos outros benefícios. Com a entrada em vigor da medida provisória 905/2019, chegou a vez de esse benefício ser alterado. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

A principal delas é abrangência de quem poderia usufruir desse benefício. Diferentemente do auxílio-doença, o auxílio-acidente é concedido quando se esgota o tratamento médico, mas perdura algum tipo de sequela no trabalhador.

Quem poderá receber o Auxílio Acidente no INSS?

Historicamente, ele era pago a pessoas que ficassem com sequelas de qualquer natureza: desde o típico acidente de trabalho até uma contusão no futebol do fim de semana.

A nova redação retira o termo de “qualquer natureza” e, embora o texto não seja claro, dá a entender que ele se restringirá aos eventos profissionais.
Além da limitação das hipóteses de concessão, outra modificação envolve sua duração. A novidade determina que ele será devido somente enquanto persistirem as condições de redução de incapacidade. Anteriormente, o auxílio-acidente só se encerrava com a morte ou a aposentadoria.

Não é que a aposentadoria ou a morte deixarão de ser critério de finalizar o pagamento. Mas antes de isso ocorrer foi acrescentada uma nova brecha para se cortar ou mesmo abrir um caminho para “operações pente-fino”.

Lista
Por fim, o auxílio-acidente será concedido com base numa listinha de sequelas que serão atualizadas a cada três anos.

A definição de um prazo mínimo não é segurança de o INSS renová-la periodicamente. Pode acontecer alguma inércia normativa em congelar os casos de concessão.

Isso pode atrapalhar também a atividade do Poder Judiciário que, em tese, deverá ficar atrelado e engessado à eventual listinha. Até a próxima.

INSS: Auxilio Doença poderá ser prorrogado?

To Top